Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/11/21 às 13h30 - Atualizado em 24/11/21 às 17h47

Lis Martins

COMPARTILHAR

Texto e edição: Mônica Pedroso (Ascom/Secec)

20.11.21

08:00:00

 

 

Mulher Preta

E as “mulher preta”
Não foram ensinadas a chorar nem a sentir
E as mulher preta
É quem estará por você
No início e no fim

E as “mulher preta”
São sobrecarregadas
Quem vai dizer que não é assim

E as “mulher preta”
Quem cuidará delas?
Quem cuidará de você e de mim?

Preta, se cuida
Se ame, se escuta
Ô preta, se cuida
Se ame, se escuta

 

A letra do rap de melodia suave foi composta por Lis Martins em parceria com Rai Preta, Debrete e Nathália Araújo. Há cerca de três meses, ganhou um clipe em trabalho conjunto com alunos do curso de audiovisual do IFB (Instituto Federal de Brasília) do Recanto das Emas. Está no YouTube e vale a pena conferir. É forte, verdadeiro e exemplifica os questionamentos provocados pela artista: “Trazer uma nova narrativa sobre nós mesmas”.

Prêmio Mulher Negra

 

O rap é resultado do trabalho de Lis no grupo África Tática que valoriza a questão de identidade negra. Aos 27 anos, a cantora e compositora também é multi-instrumentista, assistente social e trabalha com arte e educação.

 

Nascida em Brazlândia, onde mora até hoje, a mulher preta LGBTQIA+  também integra o coletivo Batalha das Gurias (BdG) e a Associação Movimento Esporte, Lazer e Cultura (MoLEC).

 

Já participou de eventos como o Seminário Internacional – Derecho y Género en America Latina: Oportunidades y desafíos (novembro de 2019, em Brasília); o Encontro Nacional de Mulheres do Poder Judiciário da União (PJU) e Ministério Público da União (MPU) – Fenajufe (novembro de 2019) e da Live “A força de um amor LGBTQUIA+ no movimento Hip Hop (Todas BR).

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br