Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Casa do Cantador

HISTÓRIA

 

 

A Casa do Cantador é considerada o Palácio da Poesia e da Literatura de Cordel no Distrito Federal. Foi inaugurada em nove de novembro de 1986 e está localizada em Ceilândia – cidade que concentra um grande número de imigrantes da Região Nordeste.

 

O local é palco de apresentações de grandes nomes da cultura nordestina, como cantores de repente e embolada; exposição de culinária nordestina, inclusive a cozinha do local recebeu o nome de Maria Bonita; oficina de música e trabalhos de inclusão digital.

 

A Casa do Cantador nasceu da necessidade dos artistas locais que não tinham, até então, um espaço para manifestarem a sua arte e sua cultura.

 

Em meados dos anos 1980 um grupo de poetas, cordelistas, sanfoneiros e vários apologistas do repente, foram a residência oficial do governador José Aparecido em Águas Claras reivindicar um espaço para esses artistas manifestarem a sua arte por meio do repente, um ponto de encontro da cultura nordestina e de admiradores cultura popular.

 

O então governador José Aparecido recebeu todos os artistas e prometeu criar a casa do Cantador. O projeto contou também com recursos do governo Área Federal e projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer.

 

Em 9 de novembro de 1986, foi inaugurada a Casa do Cantador, marco do repente no planalto central, com a presença do então presidente José Sarney, um grande admirador dos repentistas e cordelistas, além de Luiz Gonzaga, um dos mais importantes representante da cultura nordestina.

 

Endereço: QNN 32, área especial, Ceilândia Sul

Contatos: (61) 3378-5067 | casadocantador@cultura.df.gov.br

Horário de Visitação (em tempo presencial): De segunda-feira a sexta-feira das 9h às 18h (nos dias de eventos noturnos, abre conforme horário da programação)

 

Instagram

Casa do Cantador Oficial (@casadocantadoroficial)

 

Facebook

Casa Do Cantador Do Brasil | Facebook

 

 

POR DENTRO DA CASA 

 

 

Estátua de um cantador
Na entrada da Casa do Cantador temos uma obra do poeta e escultor cearense Alberto Porfírio, o “Cantador Anônimo”.

 

Cordelteca João Melchiades Ferreira

Inaugurado em 2019, o espaço tem cerca de 1,2 mil cordéis e livros e presta homenagem ao poeta e romancista paraibano, autor de “Romance do Pavão Misterioso”. A cordelteca ganhou um painel do artista plástico Valdério Costa, com xilogravuras que incluem a representação do Pavão Misterioso.

 

Leia mais

Cordelteca é inaugurada na Casa do Cantador

 

Anfiteatro

É um espaço com capacidade de 280 pessoas ou um público infantil de 350 (crianças) que pode ser utilizado para apresentações musicais, cênicas, de mamulengos além de palestras e encontros comunitários. Já teve inclusive exibições de películas (à noite) com um resultado muito bom.

 

Sala Multiuso (Térreo)

O espaço é voltado para oficinas, aulas teóricas, palestras, workshops, refeitório (por estar ligada a cozinha) além poder realizar pequenas apresentações ou até mesmo um pequeno salão para apresentações de forró.

 

Sala Multiuso (1º Andar)

O espaço é voltado oficinas, cursos, palestras, workshops e aulas de música.

 

CONTATO

Gerente: Manoel de Sousa Rodrigues (Zé do Cerrado)
Telefone: (61) 3378-4891
e-mail: casadocantador@cultura.df.gov.br

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br