Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/11/21 às 16h43 - Atualizado em 19/11/21 às 17h10

Bete Virgens

COMPARTILHAR

Texto e edição: Mônica Pedroso (Ascom/Secec)

20.11.21

08:00:00

 

 

Bete Virgens costuma dizer que foi a arte que a escolheu. Até os 58 anos, ela era Elizabete Vieira das Virgens. Depois, ao fazer prova para ingressar na Escola de Música de Brasília (EMB), também surgiu a artista Bete Virgens.

 

Bete fez o curso básico de Canto Popular e, aos 61anos, pisou no palco pela primeira vez com o espetáculo “Cada Homem Sabe na Mulher que Bate”.

 

“Essa peça me levou ao que eu chamo de presente de Deus, uma participação no especial de Natal “O Amor ao Quadrado”, exibido pela Rede Globo”, explica.

 

Acervo Pessoal

Bete Virgens

A partir do programa, Elizabete foi tomada por uma força e tomou uma decisão. Aos 61 quase 62, prestou vestibular para a Faculdade de Artes Dulcina de Moraes. Foram quatro anos de estudos, dedicação, empenho e muito trabalho até a formatura no início desse ano.

 

Em um curto tempo de carreira, Bete Virgens coleciona mais de dez peças, incluindo óperas e musicais. “Começei tarde?”, ela se pergunta e imediatamente responde:

 

“Não. Comecei no tempo certo com força e garra pra muitos e muitos trabalhos futuros. Por isso que eu digo que a Arte me escolheu.”

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br