Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Centro Cultural Três Poderes

 

 

O Centro Cultural Três Poderes – CC3P é uma unidade subordinada a Subsecretaria do
Patrimônio Cultural – SUPAC, órgão da Secretaria de Estado de Cultura e Economia
Criativa do Distrito Federal.

 

O CC3P coordena as atividades desenvolvidas em três equipamentos culturais da
Secretaria: o Museu Histórico de Brasília (Museu da Cidade), o Espaço Lúcio Costa e o
Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, do qual a Pira da Pátria e da
Liberdade é parte.

 

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, em parceria com a Secretaria de
Estado de Educação, desenvolve nos equipamentos da cultura o Projeto Territórios
Culturais que proporciona visitas guiadas aos estudantes de escolas públicas ao Centro
Cultural Três Poderes e também a outros equipamentos desta Secretaria.

 

Contatos do CC3P:

Praça dos Três Poderes – Esplanada dos Ministérios, Brasília – DF.
Telefones (61) 3323-3728 / 3225-7660
E-mail: cc3poderes@cultura.df.gov.br

Agendamento de escolas:
Telefone: (61) 3226-7709
E-mail: agendamento.cc3p@cultura.df.gov.br
Horário de Visitação: Sexta-feira a Domingo, das 09h às 15h00 (provisoriamente, enquanto durar a pandemia)

 

Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves

 

O Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves foi criado para homenagear os
heróis nacionais, ou seja, aqueles brasileiros que possuíram ideais de liberdade e
democracia. O Panteão consagra, também, a memória de Tiradentes, que além de ser
um dos heróis nacionais é o Patrono Cívico da Nação Brasileira.

 

Construído e doado ao governo do Distrito Federal pela Fundação Bradesco, tem três
pavimentos e área total construída de 2.105 m², sua edificação lembra o formato de uma
pomba e foi inaugurado pelo presidente José Sarney em 07 de setembro de 1986.

 

A ideia de se erguer um monumento para homenagear os heróis nacionais surgiu no
Palácio do Planalto, diante do corpo do presidente Tancredo Neves, inspirado nos ideais
de liberdade e democracia que, a exemplo dos seus conterrâneos inconfidentes, tão bem
soube representar.

 

A Pedra Fundamental do Panteão da Pátria Tancredo Neves foi lançada pelo presidente
da República da França, François Miterrand, durante sua visita a Brasília, em 15 de
outubro de 1985.

 

Quando o arquiteto Oscar Niemeyer, antes do projeto, começou a estudar o Panteão, seu
maior empenho era que ele se integrasse corretamente na praça, que não fosse tão
grande, mas também não muito modesto, tivesse, enfim, a escala de importância exigida
de um Panteão. Imaginou um monumento severo, sóbrio e requintado, que causasse
surpresa e desejo de ser visto de perto.

 

Espaço Lúcio Costa

 

Maquete do Plano Piloto

 

O Espaço Lúcio Costa foi idealizado por Oscar Niemeyer e sua construção foi
subsidiada pela Fundação Bradesco. É uma justa homenagem de Brasília e do arquiteto
Oscar Niemeyer ao urbanista criador do Plano Piloto de Brasília. Foi inaugurado em 27
de fevereiro de 1992, por ocasião das comemorações dos 90 anos de Lúcio Costa.

 

Localizado na Praça dos Três Poderes, é uma construção subterrânea que abriga em seu
interior a Maquete de Brasília, além de cópias dos croquis e do Relatório do Plano
Piloto apresentadas por Lúcio Costa em 1957 ao júri internacional que julgou e
considerou o seu projeto o vencedor dentre os 26 projetos que participaram do Concurso
Nacional do Plano Piloto da Nova Capital do Brasil, além de fotos históricas da época
da construção e inauguração da cidade. A concepção da exposição é do próprio autor do
projeto da cidade.

 

Fonte referencial para os turistas e estudantes, a maquete representa hoje mais uma
opção para que se possa visualizar a concepção urbanística da cidade, na perspectiva do
cruzamento dos eixos, visão possível, anteriormente, só através do acesso ao Mirante da
Torre de Rádio e Televisão.

 

Museu Histórico de Brasília (Museu da Cidade)

 

Projetado por Oscar Niemeyer, tem por finalidade preservar para a posteridade os
trabalhos que se referem à história da construção de Brasília. É o museu mais antigo da cidade, foi inaugurado às doze horas e trinta minutos de 21 de abril de 1960, mesmo dia da inauguração da cidade.

 

Este monumento é um marco histórico da cidade, pois a solenidade de sua inauguração representou a transferência
oficial da Capital Federal do Rio de Janeiro para Brasília. Presentes a este ato solene
estavam o presidente Juscelino Kubitschek e comitiva, que ouviram a “Prece Natalícia
de Brasília”, lida por seu autor, o poeta Guilherme de Almeida.

 

Edificado em concreto armado, o monumento apresenta linhas retas e sóbrias. Formado
por um bloco longitudinal, que se apoia fora do eixo sobre um cubo, sua característica
principal é o fato de exibir frases históricas em suas paredes externas e internas que são
revestidas de mármore branco.

 

No contexto da Praça dos Três Poderes, o museu destaca-se por sua forma plástica e
compõe com o Palácio do Planalto, o Panteão da Pátria e o Supremo Tribunal Federal
um harmonioso conjunto arquitetônico.

 

O Museu foi tombado pelo governo do Distrito Federal em 28 de abril de 1982 e pelo
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 06 de dezembro de 2007.