Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/10/19 às 14h57 - Atualizado em 14/10/19 às 14h35

Secretários Adão Cândido e Vitor Paulo visitam o Instituto Reciclando Sons

COMPARTILHAR

Nesta sexta-feira (11) o secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec) Adão Cândido, o secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Vítor Paulo e o maestro da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, Cláudio Cohen, realizaram uma visita ao Instituto Musical Reciclando Sons, da Cidade Estrutural.

 

Eles foram recebidos pelos professores, alunos e trabalhadores do local, e acompanharam uma tarde de ensaio de instrumentos e coro. Os estudantes cantaram emocionados com a presença do maestro Cohen, personalidade que se tornou referência para eles e tocaram algumas canções de Claudio Santoro, fundador da Sinfônica do Teatro Nacional e outros clássicos como Aquarela do Brasil.

 

Após o ensaio, a presidente do instituto, Rejane Pacheco explicou que com a ideia de promover uma convivência saudável entre crianças e adolescentes da comunidade das regiões vulneráveis, como é o caso da Estrutural, o projeto se tornou um programa social e educacional. Comemorando 18 anos desde a sua inauguração, o IRS capacitou cerca de 400 jovens através da música.

 

Rejane expôs que além das demandas de educação, ressocialização, geração de renda e inclusão social de crianças, adolescentes e famílias, uma das maiores preocupações é a continuidade do trabalho de capacitação musical entre os jovens. “Muitos alunos não dão continuidade na carreira por problemas sociais, que ocasiona o abandono da música”, explica.

 

Nesse sentido, a presidente da entidade solicitou aos secretários e ao maestro o apoio para a formação de alunos para a criação de uma orquestra sinfônica juvenil. A ideia é reunir os alunos destaques do projeto, como forma de incentivar a carreira musical iniciada no instituto.

 

Para o secretário Adão Cândido, a ideia da criação de uma orquestra juvenil é algo totalmente pertinente, que conversa com as propostas da gestão, que visam fomentar atividades culturais e, principalmente, valorizar a cadeia produtiva da cultura, grande geradora de emprego e renda. “Com a criação de um projeto consistente, conseguimos analisar quais instrumentos podemos usar para executar da melhor maneira, incluindo da melhor maneira os jovens músicos”, completa.

 

Diante disso, Cândido explicou que a Secec atende projetos com este perfil através de linhas de apoio como o FAC Mais Cultura 2019, que valoriza as produções de agentes das Regiões Administrativas com menores (IDH) e também contribui para descentralização e democratização dos recursos disponibilizados pelo Fundo.

 

Durante a visita, eles também conheceram a cozinha do Instituto Reciclando Sons, que abriga outro projeto social focado na gastronomia, uma das áreas da economia criativa. ”São ações como esta que merecem atenção do governo e da comunidade, porque realmente transformam vidas”, finalizou Cândido.

 

 

 

Fotos : Ludimila Barbosa SECEC/ DF