Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/19 às 21h28 - Atualizado em 9/04/19 às 16h54

Secretaria de Cultura inicia debate do carnaval 2020 com escolas de samba


COMPARTILHAR

O retorno das escolas de samba ao carnaval do Distrito Federal começou a ser discutido pela Secretaria de Cultura e representantes das agremiações. Em reunião nesta segunda-feira (8), foi anunciado um amplo projeto que vai avaliar o potencial da capital e construir uma proposta para fortalecer os desfiles.

 

O secretário de Cultura Adão Cândido enfatizou o esforço para viabilizar uma parceria com produtores de grandes escolas do Rio de Janeiro, que estudarão as peculiaridades das escolas para fortalecer o que ele chamou de “ecossistema do carnaval”. A consultoria vai avaliar individualmente as agremiações, entender prontos fortes e fracos para traçar um diagnóstico e apontar caminhos possíveis para o retorno dos desfiles.

 

Essa avaliação levará em conta estrutura básica dos blocos, mobilização, engajamento com a comunidade e capacidade técnica. “Precisamos ter planos de curto, médio e longo prazo, para que os investimentos sejam feitos ao longo do ano e de maneira equaliizada a dim de fortalecer as escolas”, apontou o secretário, que considera esta uma oportunidade para aprimorar técnicas. 

 

Para o presidente da União das Escolas de Samba e Blocos de Enredo, Geomá Leite, o Pará, este é um momento especial para o samba do DF. Ele enalteceu o intercâmbio ainda mais vindo do Rio de Janeiro, que realiza o maior carnaval do país, e destacou que esta é uma oportunidade para profissionalizar a atividade na capital. “A cadeia produtiva do carnaval é enorme e precisamos trazer grandes profissionais para criar um modelo amplo de carnaval que possamos vender para fora”. 

 

Já o presidente da Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro (Aruc), Moacyr Oliveira, explicou que as escolas sofrem com a falta de planejamento, uma vez que em anos anteriores não houve um diálogo na tentativa de retomada do carnaval de sambas enredo que já foi considerado o segundo maior do país nos anos 90. “Estamos renascendo. E para isso é necessário planejar para não criar expectativas nas comunidades que não poderão ser cumpridas. Esta é uma iniciativa importante para a retomada”, disse.