Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/09/19 às 17h11 - Atualizado em 24/09/19 às 17h25

Secec e Ancine debatem propostas para o audiovisual do DF

COMPARTILHAR

O secretário de Cultura e Economia Criativa (Secec) Adão Cândido e o presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine) Alex Braga se reuniram nesta terça-feira (24) em Brasília para falar de propostas para o setor audiovisual. Entre os temas, políticas públicas de desenvolvimento da área, e o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece de 22 de novembro a 1º de dezembro.

 

O processo de mudanças no Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), gerenciado pela Ancine e que apoia projetos no Distrito Federal, também foi tratado no encontro. Segundo Alex Braga, a agência traça estratégias para fortalecer o modelo de governança do fundo, de maneira que ele seja mais ágil e eficiente. “Para isso precisamos estruturar oficialmente o Comitê Gestor do FSA e manter uma equipe permanente para continuidade das ações”, disse.

 

As alterações no FSA devem atingir a linha de Arranjos Financeiros Estaduais e Regionais, editais lançados em parceria com os governos estaduais. De acordo com Braga, esse tipo de apoio é fundamental, e impacta a cadeia produtiva audiovisual em todo o país. Ele pontuou que há uma preocupação em torná-los mais dinâmicos e acessíveis.

 

O gestor da Cultura no Distrito Federal exaltou a iniciativa da Ancine em tornar mais democrática a política pública. “Esta é uma das iniciativas que mais democratiza o acesso aos recursos e confere dinamismo econômico ao segmento audiovisual”. Cândido ponderou, ainda, que a linha é base para lançamento de editais do Fundo de Apoio à Cultura (FAC). “A contrapartida do governo federal para esses projetos é essencial para construção do edital, que auxilia produções locais que movimentam a economia criativa do DF”.

 

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Durante a reunião, Adão Cândido apresentou ao presidente da Ancine, Alex Braga, o projeto da 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB), o mais tradicional do país, que traz entre as novidades, mais empenho no fomento ao ambiente de negócios e qualificação do setor.

 

Nesse sentido, o secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal ressaltou que é necessário estimular o debate acerca das novas perspectivas para a área. Por isso, explicou, algumas mesas abordarão exatamente o olhar governamental para temas como fomento, profissionalização e acesso a recursos públicos. “Para isso é preciso reunir os formuladores das políticas públicas e os representantes do segmento”, disse ao convidar Braga para o FBCB.

 

 

 

Fotos: Ludimila Barbosa SECEC DF