Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/12/19 às 10h08 - Atualizado em 31/12/19 às 11h49

Réveillon 2020 deixa saldo social positivo para o DF

COMPARTILHAR

Organizações da Sociedade Civil revelam o que a capital ganha como legado

 

O Réveillon 2020 em Brasília vai ter muita festa e também quer ser lembrado por boas práticas de sustentabilidade e ações socioeducativas. Além disso, a virada promete deixar legado para a população do Distrito Federal e seus visitantes.

 

Os eventos concentrados na Esplanada dos Ministérios, próximo à Praça dos Três Poderes, e na Praça dos Orixás (Prainha), no Setor de Clubes Esportivos Sul Trecho 2, devem reunir milhares de pessoas que celebram a chegada do novo ano.

 

Uma carta de intenções que cita até a agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) – arrojado documento com 17 metas que vão do combate à pobreza ao cuidado com o ambiente, passando pela igualdade de gênero e aprimoramento das instituições – orienta o Instituto Desponta Brasil, Organização da Sociedade Civil que organiza o Réveillon da Esplanada.

 

Na prática, a OSC promete implementar 12 pontos, entre os quais estão a produção zero de lixo, o fortalecimento da cadeia produtiva local, “atendimento humanizado”, com respeito a diversidade e acessibilidade, boas práticas no fornecimento de alimentação, com redução de utensílios descartáveis, oferta de insumos orgânicos, produtos do cerrado e da agricultura familiar.

 

“Nós acreditamos muito no potencial de Brasília como referência na gestão sustentável de eventos”, explica Patrícia Mazoni, consultora do Sebrae-DF em educação e gestão ambiental, com formação na área pela Universidade de Brasília. Ela aposta também no aperfeiçoamento dos mecanismos de fomento do Governo do Distrito Federal – Fundo de Apoio à Cultura, Lei de Incentivo à Cultura e termos de fomento – como indutores de boas práticas na medida em que façam exigências explícitas sobre isso nos editais.

 

Nesse sentido, como parte do legado da OSC para a capital no sexagenário comemorado em 2020 estão realização de workshop para os servidores da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), sobre como inserir a sustentabilidade de forma transversal nos eventos culturais de Brasília, e um relatório de sustentabilidade compilando a experiência da virada.

 

A estrutura de serviços para o réveillon na Esplanada prevê mais de 150 banheiros com opções para pessoas com deficiência. Estas terão facilidades exclusivas, com palco privilegiado de 100 metros quadrados munido de rampa de acesso, de frente para as apresentações da noite, que serão reproduzidas em telões de LED.

 

Haverá duas praças de alimentação, atendimento por 34 brigadistas, posto médico e equipe com 140 seguranças particulares, além de 1.200 PMs. Ao final 60 pessoas se encarregam da limpeza com destino para reciclagem e geração de renda para famílias cadastradas. A queima de fogos na virada terá duração de dez minutos.

 

Prainha
A Praça dos Orixás (Prainha) vai receber revitalização parcial, com pintura das estátuas dos orixás, faxina local, capina, pintura de meios-fios e troca de placas informativas.

 

“O estátua de Oxalá vamos vestir porque está muito vandalizada”, explica Luciano Ibiapina, que faz a coordenação do evento para a OSC Grêmio Recreativo Carnavalesco de Vicente Pires. “Estimamos que a restauração da peça fique em R$ 50 mil”, diz ele.

 

Ibiapina entende que o maior desafio da prainha, patrimônio imaterial de Brasília, ponto de rituais religiosos de matrizes africanas, local com visitação turística e espaço de recreação da população da capital, passa por um uso mais intensivo da área. “Aqui costuma ficar muito largado a maior parte do ano, só recebendo investimentos nessa época”, diz o profissional formado em gestão pública.

 

Entre as contrapartidas da OSC estão a busca de parcerias público-privadas para instalar bancos no local para os visitantes poderem se sentar, o que hoje não existe. Além disso, o grêmio quer levar para o local eventos de samba, cujas raízes partilham da herança cultural do candomblé e da umbanda. “Este ano estamos fazendo hoje (30) a segunda edição do Dia do Samba (comemorado oficialmente no dia 2/12)”.

 

Para conforto do público, serão montados 92 banheiros químicos, incluindo 12 para portadores de deficiências, 160 seguranças para o show, 64 para cuidar do patrimônio, 40 brigadistas, quatro ambulâncias e barracas com comidas típicas, como o acarajé. O show pirotécnico também durará dez minutos.