Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/01/19 às 11h26 - Atualizado em 15/01/19 às 15h02

Programação Cine Brasília

COMPARTILHAR

 

Esta semana o Cine Brasília apresenta “A Esposa”, que traz no elenco Glenn Close e Jonathan Pryce. Junto a eles, um grupo de “coadjuvantes” de peso, a ponto de levarmos um bom tempo para percebermos quem de fato é o protagonista do filme. No início, tudo parece girar em torno do marido, o prestigioso escritor Joe Castleman (Jonathan Pryce). É ele que acaba de ganhar um Nobel de Literatura, é ele que recebe os elogios e congratulações. À esposa, cabe acompanhá-lo como uma sombra, cumprimentando elegantemente os outros homens nas festas e reuniões. Mesmo assim, a imagem insiste em se focar no rosto dela enquanto o marido discursa. Quando ele descobre a notícia do prêmio, é a face dela que presenciamos, escutando a novidade pela extensão do telefone. A trama parece se concentrar naquilo que está à margem. Mas aos poucos vamos tomando pé na complexa trama psicológica dessa história singular.

 

Em cartaz A Nossa Espera, é, antes de mais nada, um filme oportuno para se refletir sobre o contexto sócio político atual, e isso através das vidas doméstica e profissional de Olivier. De um lado, ameaças de desemprego na fábrica onde trabalha, colocando-o na difícil missão de decidir sobre quais amigos deve dispensar. De outro, os problemas com a sua mulher, personagem silenciosa, em permanente colapso pela insuportável pressão do dia a dia. Co-produção franco-belga, A Nossa Espera observa uma Europa em franca decadência monetária. Qual a saída para esta situação social que parece inexorável, e cujas conseqüências atingem os indivíduos de forma a mais cruel possível? Esta é a pergunta que o filme tenta responder, colocando em primeiro lugar uma perspectiva francamente humanista.

 

Meu Querido Filho conta a história do sumiço de um jovem que sofre de enxaqueca constante e que desaparece para se juntar ao Estado Islâmico. O diretor comenta sobre o desafio na construção da trama: “Não cair no maniqueísmo previsível: permanecer sutil e delicado. Eu queria evitar a opção óbvia de uma imediata condenação, mesmo que seja completamente legítima. Eu queria ir além do nível superficial do ódio, de raiva, embora, mais uma vez, seja completamente compreensível esse sentimento”. Mohamed Ben Attia é o mesmo diretor do ótimo A AmanteMeu Querido Filho teve sua estreia mundial no Festival de Cannes, em maio, e foi muito bem recebido pela crítica. Um dos grandes méritos do diretor é apresentar de forma muito original o drama da tantas vezes abordada “síndrome do ninho vazio” num contexto histórico muito específico. Mais do que tudo, Meu Querido Filho deixa transparecer um humanismo comovente sobre uma questão absolutamente atual.

 

Torre. Um Dia Brilhante, é o longa de estreia da diretora Jagoda Szelc. O filme integrou a Berlinale em 2018 e recebeu os prêmios de Melhor Diretora Estreante e Melhor Roteiro no Festival de Cinema da Polônia. É um dos filmes mais originais lançados este ano. Aparentemente é uma típica produção de terror. Um plano aéreo inicial revela o carro de uma família percorrendo uma floresta assustadora, ao som de ruídos macabros. A chegada dos adultos na casa é retratada por dois pontos de vista diferentes, em cenas consecutivas. A câmera treme nervosamente de um rosto ao outro, a montagem interrompe as imagens no meio da ação. Os personagens estão tensos, efetuando gestos bruscos sem que o espectador saiba muito bem o por quê. Torre. Um Dia Brilhante começa com a promessa de uma tragédia, ou talvez uma explosão. A jovem diretora Jagoda Szelc oculta os confrontos durante cerca de 90 minutos, substituindo a catarse pela insinuação de que algo muito grave está prestes a acontecer. Sabemos apenas que Mula (Anna Krotoska) recebe em sua casa a irmã Kaja (Małgorzata Szczerbowska), que abandonou a filha recém-nascida seis anos atrás. Os desdobramentos posteriores são inesperados e insólitos.

 

EM CARTAZ

 

        A Esposa

           (Drama/Reino Unido/Suécia/100min/2018)

                 De Björn Runge

Com: Glenn Close, Jonathan Pryce, Christian Slater, Max Irons, Annie Starke, Harry Lloyd, Alix Wilton Regan, Morgane Polanski,

Sinopse:  Enquanto viaja para Estocolmo com o marido, que receberá o Prêmio Nobel de Literatura, Joan (Glenn Close) questiona suas escolhas de vida. Durante os 40 anos de casamento, ela sacrificou seu talento, sonhos e ambições, para apoiar o carismático Joe (Jonathan Pryce) e sua carreira literária.  Assediada por um jornalista (Christian Slater) ávido por escrever uma escandalosa biografia de Joe, agora Joan enfrentará o maior sacrifício de sua vida e alguns segredos há muito enterrados finalmente virão à tona.

Classificação indicativa: 12 anos

 

 A Nossa Espera

           (Drama/França/Bélgica/98min/2018)

                 De Guillaume Senez

Com: Romain Duris, Laure Calamy, Laetitia Dosch

Sinopse:  Olivier (Romain Duris) é o politizado funcionário de uma fábrica, onde volta e meia bate de frente com seus superiores para defender os colegas de trabalho. Um dia, ele é surpreendido com o súbito desaparecimento de sua esposa, Laura (Lucie Debay). Sem saber o que aconteceu nem para onde ela foi, Olivier precisa conciliar o trabalho com a criação de seus dois filhos, Elliot (Basile Grunberger) e Rose (Lena Girard Voss).

Classificação indicativa: 12 anos

      Meu Querido Filho

           (Drama/Tunísia/Bélgica/França/104min/2018)

                 De Mohamed Ben Attia

Com: Mohamed Dhrif, Mouna Mejri, Zakaria Ben Ayyed

Sinopse:  Na Tunísia atual, o filme retrata a família de Riadh, um homem que está prestes a se aposentar.  Ele e a esposa, Nazli, têm as atenções voltadas para o único filho, Sami, que está se preparando para os exames do ensino médio. Mas as rotineiras crises de enxaqueca do jovem deixam o casal sempre em alerta. Quando tudo parece estar melhor, Sami desaparece de repente.

Classificação indicativa: 10 anos

 

  Torre. Um Dia Brilhante

      (Romance/Drama /França/Japão/102min/2018)

              De Jagoda Szelc

Com: Anna Krotoska, Małgorzata Szczerbowska, Rafał Cieluch

Sinopse: Nina, a filha de Mula, está prestes a celebrar sua Primeira Comunhão e os parentes começam a chegar. Entre eles, Kaja, irmã de Mula e mãe biológica de Nina, que, por alguma razão, permaneceu ausente nos últimos seis anos. Seu retorno desencadeia as ansiedades de Mula, que passa a desconfiar de qualquer interação entre Kaja e NinaA presença de Kaja desencadeia mudanças na família, ocorrendo uma série de peculiares eventos metafísicos.

Classificação indicativa: 14 anos

                                                                    

                

 

Programação: 

 

Quinta-Feira (10/01)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Sexta-Feira (11/01)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Sábado (12/01)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Domingo (13/01)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Segunda-Feira (14/01)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Terça-Feira (15/01/2019)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

Quarta-Feira (16/01/2019)

 

14h00 – A Esposa

15h50 – Meu Querido Filho

17h40 – A Nossa Espera

19h30 – A Esposa

21h20 – Torre. Um Dia Brilhante

 

S E R V I Ç O:

Ingressos: R$ 12,00 (inteira)  R$ 6,00 (meia entrada)

Programador responsável: Sergio Moriconi;smoriconi@terra.com.br

Programação Completa  www.cultura.df.gov.br e facebook.com/cinebrasilia1960