Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/08/21 às 12h15 - Atualizado em 5/08/21 às 10h41

Orquestra traz piano e vozes femininas

COMPARTILHAR

Texto: Alexandre Freire /Edição: Sérgio Maggio (Ascom Secec)

3/8/2021

10:50:20

 

OUÇA RESUMO DA NOTÍCIA

 

Com a presença forte do piano e da voz feminina soprano como solista, a programação de agosto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, promete ser impecável. Sempre às terças-feiras, às 20h, no Canal do YouTube, as apresentações são garimpadas dentro do acervo de concertos em tempos presenciais.

 

Saiba mais sobre a OSTNCS

Orquestra Sinfônica Teatro Nacional Cláudio Santoro (OSTNCS)

 

No dia 24.8, a voz da soprano francesa Laetitia Grimaldi é a estrela. Ela interpreta obras do compositor brasileiro Ricardo Calderoni, inspiradas em poemas de Luís Carlos Alcoforado, e também o clássico “Summertime”, da “Opera Porgy and Bess” de George Gershwin (1898-1937).

 

 

No Distrito Federal, Laetitia cantou em datas diferentes. No Iate in Concert, em junho de 2018, (“Summertime e Bossa”), e, na Escola de Música de Brasília (EMB) ,em dezembro do mesmo ano, quando interpretou a música “Corpo de Criança”. Outra

crédito: Ammiel Bushakevitz

Soprano francesa Laetitia Grimaldi

soprano, Raquel Fortes, interpretou “Sonho”, também da dupla Calderoni-Alcoforado, no Santuário Dom Bosco, compõe a programação do dia 24.8.

 

“Foi um prazer e uma honra trabalhar com o maestro Cohen nesses dois concertos, uma alegria participar da Orquestra, que tem grandes músicos”, testemunha Laetitia.

 

A soprano cresceu entre Lisboa e Londres. Licenciou-se em Nova York, na Manhattan School of Music, e concluiu o seu mestrado na mesma cidade, na prestigiosa Juilliard School.

 

“Fiquei honrada por ter interpretado músicas de diferentes estilos, de Berstein a Mahler. Foi um grande privilégio fazer a première mundial do brilhante e jovem compositor Ricardo Calderoni, cuja música é inspirada pela poesia poderosa de Luís Carlos Alcoforado”.

 

Calderoni é compositor em residência da Orquestra e dirige projetos socioculturais junto a milhares de crianças.

 

A cantora também destacou a relação da OSTNCS com a audiência em Brasília: “Foi maravilhoso ver como a Orquestra brinda a cidade com grandes performances e como o público aprecia esses eventos. Espero voltar a Brasília para repetir a experiência”, arremata.

 

ÓPERA DE ABERTURA

foto: Marina Gadelha - Secec/DF

Cohen preparou um agosto de novidades

Nesta terça-feira (3.8), a Orquestra brinda à chegada de agosto com a abertura da ópera Tannhauser, de Richard Wagner. “Um dos mais célebres compositores de óperas de todos os tempos”, ressalta o maestro Cláudio Cohen. O maestro lembra que Wagner (1813 — 1883) inovou em vários sentidos, seja na grandiosidade das suas óperas, algumas das quais chegam a durar mais de cinco horas, como também na parte cênica e na evolução das técnicas de composição inovadoras para a sua época, a segunda metade do século 19.

 

“Essa abertura é de grande dificuldade de execução e demonstra a maturidade técnica e artística elevada da nossa orquestra”, emenda.

 

foto de Fotografia de Danil Rabovsky

Fernando Calixto, pianista

Na próxima semana (10.8), será a vez do “Concerto nº 1 para Piano e Orquestra”, de Sergey Rachmaninov (1873-1943), com solo de piano do instrumentista radicado em Brasília Fernando Calixto. Sobre o artista russo, expoente do romantismo, Cohen frisa que “era um pianista virtuoso e dedicou a maior parte de suas composições a este nobre instrumento”.

 

Doutor com excelência em performance pelo Conservatório Rimsky Korsakov, em São Petersburgo, Calixto diz que “esse concerto traz elementos típicos do romantismo russo, como sentimentos de nostalgia e de amor à pátria”. Acrescenta que a peça “é de uma beleza singular” e destaca “principalmente o segundo movimento, quando há uma entrada fantástica da orquestra”.

 

No dia 17, a OSTNCS apresentará “uma das mais belas sinfonias do compositor alemão Robert Schumann”, anuncia Cohen. A “Sinfonia nº 3, Renana”, de Schumann (1810-56), tem “um caráter vibrante e festivo”, destaca. Foi inspirada na catedral de Colônia, que o compositor visitou em duas ocasiões em 1850, na segunda para a elevação do arcebispo da cidade a cardeal. A literatura sublinha na obra a combinação de riqueza de detalhes em gradual transição entre a perplexidade e o entendimento contemplativo.

 

Fechando o mês (31.8), Cohen convida o público a ouvir o pianista coreano Kim-Woo Paik na interpretação do belíssimo “Concerto para Piano em Sol Maior de Maurice Ravel” (1875-1937).

 

PROGRAMAÇÃO

 

3/8

Richard Wagner – Abertura da Opera Tannhauser

Maestro Cláudio Cohen

Teatro Pedro Calmon 11/10/2016

 

10/8

Sergey Rachmaninov – Concerto no.1 para piano e Orquestra

Solista – Fernando Calixto

Maestro Cláudio Cohen

Auditório Planalto 29/03/2016

 

17/8

Robert Schumann – Sinfonia no.3 “Renana”

Maestro Cláudio Cohen

Auditório Planalto 29/03/2016

 

24/8

George Gershwin – Summertime – Laetitia Grimaldi (Soprano)

Música de Ricardo Calderoni e letra de Luís Alcoforado.

Bossa – cantora Laetitia Grimaldi

Corpo de Criança – Laetitia Grimaldi

Escola de Música de Brasília

Maestro Cláudio Cohen

 

Sonho – cantora Raquel Fortes

Maestro Christian Schulz

Santuáio Dom Bosco

 

31/8

Maurice Ravel – Concerto para piano e Orquestra em sol maior

Teatro Pedro Calmon – Concerto Coreano (11/10/2016)

Solista – Kun-Woo Paik

Maestro Cláudio Cohen

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br