Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/04/19 às 13h23 - Atualizado em 2/05/19 às 14h49

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional recebe homenagem pelos seus 40 anos na CLDF

COMPARTILHAR

A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou na noite de ontem, (29), sessão solene em homenagem aos 40 anos da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. A cerimônia lembrou toda sua trajetória e a importância para a Cultura de todo o país. A solenidade reuniu membros da orquestra, parlamentares, autoridades e sociedade civil.

 

O Secretário de Cultura do DF, Adão Cândido parabenizou a Orquestra pelo profissionalismo, agradeceu em nome do Governador Ibaneis Rocha e ressaltou a prioridade do Governador em reformar e reabrir o Teatro Nacional Claudio Santoro, principalmente para acolher sua Orquestra, que se apresenta em outros equipamentos culturais no momento, de modo provisório.

 

Cândido ressaltou que o cronograma prevê a reabertura da sala Martins Penna até 2020, para os 60 anos de Brasília e todo o teatro até o fim da legislatura. “Gostaria de deixar o agradecimento em nome do Governador e deixar o testemunho de engajamento e profissionalismo de todos os servidores da Orquestra, sempre atendendo com excelência todas as solicitações da Secretaria,” destaca Adão Cândido.

 

O autor da sessão, deputado Cláudio Abrantes falou a respeito da história de Claudio Santoro e seu grande legado, que seria a Orquestra Sinfônica. Para Abrantes, sua admiração pela cultura vem desde criança e como brasiliense de coração, o parlamentar tem muito orgulho em poder homenagear a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional. “Tenho muito orgulho em poder homenagear a Orquestra que se mantém viva e que nos encanta há gerações,” ressaltou o deputado.

 

A mesa também foi composta por personagens que fizeram parte da história da OSTNCS, como a viúva de Claudio Santoro, Gisele Santoro, a presidente da Associação dos Músicos da Orquestra Nacional, Flautista Ariadne Paixão, o maestro da Orquestra Sinfônica, Claudio Cohen, o Embaixador da Bolívia, José Kinn Franco e uma das fundadoras da Orquestra, a violoncelista Norma Lilia Ramos de Freitas.

 

Por fim, sob a regência do maestro Claudio Cohen, houve a apresentação da canção “Ponteio” de autoria de Claudio Santoro e foram entregues moções de louvor aos músicos presentes.