Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/18 às 23h39 - Atualizado em 13/11/18 às 15h31

Governo premia blocos de Carnaval que contribuíram com a limpeza urbana

COMPARTILHAR
Toninho Tavares/Agência Brasília

Secretária-adjunta Nanan Catalão (E) participa de entrega de certificados a blocos de Carnaval

 

Vinte e três blocos que ajudaram a manter as ruas livres de sujeira durante o carnaval, em fevereiro, foram reconhecidos pela edição de 2018 da campanha Bloco Brasília Limpa, do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

 

A campanha Brasília Limpa entregou, nesta terça-feira (23), o certificados para vinte e três blocos de carnaval que se empenharam em manter a limpeza urbana durante a folia no DF. Pelo quarto ano seguido, a autarquia concedeu certificados para os grupos que se destacaram. Desde 2015, foram entregues 43.

 

A diretora-presidente do SLU, Kátia Campos, definiu a iniciativa como uma prova de cidadania e respeito pela cidade. “Não é porque estamos nos divertindo que podemos esquecer do resto”, alertou, em cerimônia na tarde desta terça-feira (27), no Palácio do Buriti. “Essa é uma forma de integrar foliões e garis. Ficamos muito felizes em valorizar o trabalho da categoria, fundamental para a manutenção da cidade limpa”, acrescentou.

 

Premiados pelo segundo ano consecutivo, os organizadores do bloco Maria Vai Casoutras investiram em faixas de conscientização e postagens nas redes sociais para orientar os foliões. “Sujeira não combina com brincadeira”, resumiu Clarisse Marinho, de 34 anos, membro do grupo desde a fundação, em 2012.

 

Para a secretária-adjunta de Cultura, Nanan Catalão, presente na solenidade, a premiação é um marco na mudança de hábitos e valores no Distrito Federal. “Essa é uma rede que se consolida, com atos cotidianos que fazem a diferença e que valorizam os trabalhadores da limpeza urbana”, defendeu.

 

A campanha do Brasília Limpa envolveu os organizadores dos blocos, os foliões, servidores do SLU e os garis, que avaliaram o desempenho dos participantes. Entre os critérios avaliados, o principal foi a autogestão dos resíduos produzidos — quando os blocos se responsabilizam pela limpeza e dispensam o trabalho do SLU.

 

Também foram levados em conta no julgamento a oferta de lixeiras, a divulgação prévia de orientações sobre como colaborar com a limpeza e mensagens educativas durante a folia, itens avaliados como muito bom, bom ou ruim.

 

Em 2018, pelo menos 746 mil pessoas foram às ruas do Distrito Federal para curtir os 229 eventos de carnaval cadastrados pela Secretaria de Cultura.