Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/11/19 às 18h53 - Atualizado em 21/11/19 às 18h56

Fim de semana é marcado pela estreia a 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

COMPARTILHAR

O fim de semana chega no embalo do cinema. Com a estreia da 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, nesta sexta-feira (22), a cidade recebe grandes produções cinematográficas. E a programação não para por aí.

Moradores de várias Regiões Administrativas do Distrito Federal também poderão curtir o festival, que contemplará a população com exibição gratuita de longas e curtas.

 

A programação também conta com estreia de exposições de arte, no Museu Nacional da República e Espaço Oscar Niemeyer. Já os outros equipamentos trazem ampla programação com espetáculos teatrais, de música e dança.

 

Cine Brasília

 

Começa nesta sexta (22) e vai até o dia 1º de dezembro, a 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O Cine Brasília continua como o palco principal do mais antigo festival do cinema do país. Mas Samambaia, Recanto das Emas e Planaltina também receberão os filmes que disputarão o Troféu Candango, além da Mostra Brasília BRB e do Festivalzinho.
O objetivo é oferecer uma ampla programação a diferentes públicos dessas regiões. O Complexo Cultural de Samambaia, o Complexo Cultural de Planaltina e o Auditório IFB Recanto das Emas, recentemente inaugurados, sediam o Festival com a programação de filmes exibida no Cine Brasília.

 

Confira a programação completa no site: http://www.festivaldebrasilia.com.br/programacao.

 

Complexo Cultural Samambaia

 

22/11 – 9h Coral Levando a Vida

O Grupo Coral Levando a Vida é um projeto que tem como principal foco promover qualidade de vida às pessoas com idade acima dos 45 anos e proporcionar acesso à educação musical como terapia. Local: Sala Multiuso. Classificação Indicativa: Adultos e terceira idade. Entrada franca.

 

22/11 – 20h Oficina de Capoeira

A oficina de capoeira om o mestrando Todo Duro (Pedro Paulo) do Grupo Social e Cultural Grito de Liberdade. Local: Galpão Garagem. Classificação indicativa: a partir de 04 anos. Inscrição: R$ 40.

 

23/11 – Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

A partir das 20:30, o Complexo Cultural Samambaia recebe a Mostra Competitiva de Curtas. Entrada gratuita. Os títulos exibidos são: Alfazema, de Sabrina Fidalgo e Carne, de Camila Kater. Entrada Franca.

 

23/11 – 14h – Batalha de Rima

Duelo Lírico – Liga dos Campeões continua no Complexo Cultural Samambaia!! Venha prestigiar os campeões em um duelo emocionante. Evento: Batalha de Rima. Local: Galpão Garagem – Complexo Cultural Samambaia. Entrada Gratuita. Classificação Livre.

 

24/11- Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

A partir das 20:30, o Complexo Cultural Samambaia recebe a Mostra Competitiva de Curtas. Entrada gratuita. Os títulos exibidos são: Ari y yo, de Adriana de Faria, A febre, de Maya Da-Rin.

 

Complexo Cultural de Planaltina

 

24/11 às 20:30 – Festival de Cinema Brasileiro
A partir das 20:30, o Complexo Cultural Samambaia recebe a Mostra Competitiva de Curtas. Entrada gratuita. Os títulos exibidos são:Caranguejo Rei, de Enock Carvalho e Matheus Farias., Ari y yo, de Adriana de Faria, A febre, de Maya Da-Rin. Entrada gratuita.

 

Casa do Cantador

 

Balaio Cultural – 22/11

A Casa do Cantador conta com a festa “ Balaio Cultural”. A partir das 20h, a noite será animada pelos DJs Marola, Jean, Hércules e Ocimar, além da Orquestra Popular Menino de Ceilândia e Quadrilha Junina Rebuliço. Entrada Franca. Classificação indicativa livre.

 

Espaço Oscar Niemeyer

 

Bio O Quê?

Reinaugurado no último mês de agosto, o Espaço Oscar Niemeyer recebe nova programação artística. Com lançamento previsto para a próxima quinta-feira (21), a nova atração do espaço cultural será a exposição “Bio O quê?”. De iniciativa conjunta da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, do Laboratório Ábaco e da Universidade de Brasília, a mostra retrata a Bioarte como meio de reflexão sobre a Bioeconomia.

A exposição também marca a 16º edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que teve como tema a “Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”. Com obras de 26 artistas, conceitualmente alinhadas sob a tendência em voga da Bioarte, a “Bio O quê?” tem por finalidade levar o público a refletir sobre as relações sustentáveis entre o homem e o meio ambiente.

 

Espaço Cultural Renato Russo

 

Teatro – Olho da Fechadura – 22- 24/11 – sexta e sábado 20h – domingo 19h
Realizada no ECRR com o Diretor e Professor Hugo Rodas, a peça, montada pela primeira vez nos anos 90 (1993) foi um grande sucesso de público e crítica. Inspirada na obra de Nelson Rodrigues reúne teatro, música e performance. É resultado da Oficina-Montagem, coletivos que desenvolvem habilidades cênicas teóricas e práticas de Maquiagem, Cenário, iluminação e Figurino, para formatar um espetáculo síntese. Entrada Franca, 18 anos – Teatro Galpão.
Música – Onde tem vagabundo o capeta não encosta – 22 e 23/11 – 20h.

O show de Adriano Rocha e A Catraca promete levar para a pista amantes de samba-rock, maracatu, samba e baião, além da nossa boa e velha MPB. Ele se inspira em Carlos Pinto, Arthur Verocai, Cátia de França, Victor Assis Brasil, Luiz Bonfá, Manduka, entre outros. Entrada: R$ 20 (inteira), Livre – Sala Multiuso.

 

Memorial dos Povos Indígenas

 

O Memorial dos Povos Indígenas mantém até 31 de dezembro a exposição “Menire Bê Kayapó Djàpêj” (A mulher Kayapó e seu trabalho). Ela reúne rico acervo fotográfico distribuído em painéis temáticos e didáticos e composto também de elementos da natureza, como sementes, ervas, remédios e vistoso artesanato a venda. Entrada franca, classificação livre.

 

Museu Nacional da República

 

Exposição “Arno Fischer – Fotografia”

 

O público de Brasília aficionado por fotografia, fotojornalismo e a beleza estética de registros em preto em branco poderá ver o trabalho do alemão Arno Fischer (1927-2011), que será exposto no Museu Nacional da República com entrada franca.
As fotografias em preto e branco de Fischer chegam ao Brasil numa iniciativa da Embaixada da Alemanha e do Goethe-Zentrum, em colaboração com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Planejada pelo Instituto de Relações Exteriores da Alemanha (ifa – Institut für Auslandsbeziehungen, uma agência centenária de difusão cultural), a mostra oferece uma visão panorâmica da carreira do fotógrafo.

Manu Militão – Projeto Border

 

O projeto Border, do artista Manu Militão, entra em exposição no Museu da República estreia no museu nesta terça (12). A mostra reúne as obras produzidas por ele durante uma viagem de motocicleta de Brasília até o Alasca, passando por 14 países. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

 

Simbólico Sagrado

 

Com curadoria de Thaís Darzé, “Simbólico Sagrado” selecionou 95 peças dos autores. “É um diálogo entre as obras de dois artistas negros, baianos, que tiveram o auge de suas produções durante as décadas de 1960 a 1980. Traduzem valores e posicionamentos muito semelhantes, ao defender e difundir cultura e legado dos povos africanos, pensando numa identidade genuinamente brasileira”, explica a curadora.

 

Almandrade

 

Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das oficinas de arte do Museu de Arte Moderna da Bahia e Palacete das Artes, Almandrade participou de várias mostras coletivas e individuais. Integrou movimentos de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações no Brasil e exterior. É um dos criadores do Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia que editou a revista “Semiótica” em 1974.
A exposição no Museu da República reúne obras de 45 anos de carreira do artista. São mais de 80 obras em técnicas variadas como desenho, escultura, pintura, maquetes e objetos, escolhidas pela curadora Karla Osório em conjunto com o artista.

 

Doações 2019

 

O público ainda poderá visitar, rever ou conhecer trabalhos de artistas que passaram pelo Museu Nacional da República este ano e cederam peças que agora integram o acervo do equipamento.
Com o nome “Doações 2019”, visitantes apreciarão trabalhos de artistas consagrados como Yutaka Toyota, Sandra Mazzini, Ding Musa, Pedro Juan Gutiérrez, Gerson Fogaça, Lia do Rio, Nilce Eiko Hanashiro, Mila Petrillo entre outros.

 

Museu Vivo da Memória Candanga

 

Exposição – Narrativas Afetivas da Cidade Livre

O Museu Vivo da Memória Candanga e o Lobo Fest-Festival Internacional de Filmes apresentam a exposição Narrativas Afetivas da Cidade Livre, composta de três acervos que dialogam entre si com a temática da memória, da afetividade e do registro do tempo.

 

O primeiro núcleo é um extrato da exposição fotográfica de Joaquim Paiva, com registros do Núcleo Bandeirante da década de 70. As fotografias dão conta da beleza artesanal da cidade, por meio das fachadas e vistas. O segundo núcleo apresenta registros videográficos de narrativas afetivas do Núcleo Bandeirante de Josiane Osório, cineasta e professora brasiliense.

 

O projeto fez parte de um conjunto de homenagens aos 30 anos do tombamento de Brasília como patrimônio histórico. O projeto busca e interroga os lugares de memória, histórias orais, cartas e objetos que retratam a tessitura social do local. Classificação livre. Entrada Franca. Local: Salão da Casa Amarela do Museu Vivo da Memória Candanga.

 

Oficinas

 

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole. O local ainda abriga e exposição permanente “Poeira, Lona e Concreto”, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro. Confira os dias e horários das oficinas:

Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários. Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h. Oficina do Papel – Fundação Pedro Jorge – Quarta-feira de 14h às 17h. Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta das 14h às 17h.

 

Confira também nossas redes sociais: Instagram/Twitter/Facebook: @SececDF