Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/03/18 às 10h36 - Atualizado em 13/11/18 às 15h31

Filme sobre o maestro Claudio Santoro entra no circuito comercial dia 8 de março

COMPARTILHAR

O documentário de longa metragem SANTORO- O HOMEM E SUA MÚSICA (2015- 88’), realizado através de edital do FAC- Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, é um resumo da vida e obra do músico, compositor, professor e maestro Claudio Santoro. Com direção do cineasta John Howard Szerman o filme fala da história desse autor de mais de 600 peças musicais, indo de simples prelúdios para piano a 14 sinfonias para grandes orquestras e uma ópera, da música dodecafônica ao nacionalismo e à música eletroacústica, Santoro passou por diversas fases sendo comparado apenas a Igor Stravinsky na totalidade de vertentes musicais que experimentou ao longo dos seus quase 70 anos de vida.

 

O filme foi indicado para concorrer no 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro em 2015, tendo recebido os prêmios Troféu Câmara Legislativa do DF na categoria longa metragem como Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Trilha Sonora, além do Prêmio Exibição TV Brasil e o Prêmio Marco Antônio Guimarães como Melhor Pesquisa Cinematográfica do Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro.  No dia 8 de março a película estará no circuito comercial das cidades de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Santos (SP).

 

Dezenas de vezes premiado e condecorado, Claudio Santoro nasceu em Manaus em 1919. O menino-prodígio fez o seu primeiro recital de violino aos 12 anos sendo aclamado pela imprensa especializada amazonense. O Governador do Amazonas assinou um decreto concedendo-lhe uma bolsa de estudos para cobrir as despesas com sua formação no Conservatório de Música no Rio de Janeiro. Aos 17 anos começou a compor, foi integrante do movimento Música Viva, criado para executar e difundir a música contemporânea, tendo sido spalla da primeira formação da OSB. Desde então acumulou prêmios, recebeu condecorações, além de ser figura principal de mais de uma centena de obras entre livros, artigos, ensaios e teses; e teve parte de suas composições gravadas em cerca de 130 LPs e CDs.

 

Entre inúmeras dificuldades – as financeiras, constantes – seus 69 anos foram vividos intensamente numa relação visceral com a música. Morou em diversos países onde, além de compor parte de sua obra, regeu algumas das orquestras mais importantes do mundo.

 

Veio a Brasília em 1962 a convite de Darcy Ribeiro para criar o Departamento de Música da UnB e onde manteve residência até a sua morte em 1989. Criou a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional que hoje, como o Teatro, leva o seu nome.

 

Narrar esse universo de forma a revelar o homem e a obra, numa linguagem que consiga equilibrar o artista genial e o ser humano em seu cotidiano é a proposta do documentário SANTORO- O HOMEM E SUA MÚSICA.

 

JOHN HOWARD SZERMAN- DIRETOR

 

Cineasta com mestrado em Cinema e Televisão pelo The Royal College of Art (Londres), o inglês John Howard chegou ao Brasil com dois anos. Trabalha com cinema, vídeos e televisão, projetos experimentais, ficção e documentários desde 1969. Entre os principais trabalhos já integrou a equipe de Jean –Luc Godard – como cameraman – e Glauber Rocha – como codiretor de fotografia e cameraman em seu último longa “A Idade da Terra”. Dirigiu 41 filmes, roteirizou sete filmes de longa metragem além de ter trabalhado em dezenas de comerciais e filmes institucionais.

 

Foi roteirista premiado pelo BFI – Bristish Filme Institute e entre os prêmios conquistados ao longo de sua carreira tem Kikito, Sol de Prata e Candango só para citar alguns. Na área acadêmica deu cursos na Inglaterra, Escócia, França e Suíça e no Brasil ocupou a cadeira de Cinema no Curso de Comunicação Social da Faculdade da Cidade (RJ) entre 1982 e 1988. Foi diretor artístico da TV Búzios. Produziu a Mostra “Viva o Cinema Brasileiro!” de 1995 a 2005 que viajou para Rio de Janeiro, Brasília, Manaus, Curitiba, Maceió, Salvador e Lisboa. Entre 2009 e 2010 dirigiu e produziu o programa Horizontes para a TV Câmara e foi curador da Mostra “O Cinema e a Lei”, organizou a Mostra “Ciclo Freud: O cinema no Divã” nos CCBBs de São Paulo, Rio e Brasília, além de coordenar o Festival de Vídeo das Escolas Públicas de Salvador.

 

DIA 8 DE MARÇO

 

Espaço Itaú de Cinema – CasaPark

Cine Cultura- Liberty Mall

Classificação indicativa : Livre