Governo do Distrito Federal
4/04/19 às 19h02 - Atualizado em 10/04/19 às 11h02

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro vai debater futuro do audiovisual no país, aposta curadoria

“O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro deste ano tem como papel histórico acolher e ajudar a promover o debate nacional sobre o futuro do setor audiovisual no Brasil”. Esta é a síntese que o secretário da Cultura, Adão Cândido, fez hoje (4) ao final da primeira reunião com os curadores do evento, que vai acontecer de 13 a 22 de setembro.

 

No encontro do secretário com os representantes da sociedade civil Anna Karina de Carvalho, Marcus Ligocki Júnior e Tiago Belloti, foram discutidas as linhas gerais do festival, que tem como proposta a integração da produção cinematográfica brasileira. Também participaram da reunião a subsecretária de cidadania e diversidade cultural, Érica Lewis e o coordenador de audiovisual, Wanderlei Silva. 

 

A comissão curadora do Festival, que reúne os seis, estabeleceu como objetivos principais do evento selecionar o melhor da produção  brasileira, unindo realizadores em torno do fortalecimento do setor audiovisual, ampliando o público espectador e fortalecendo plataformas de distribuição, com ênfase para a crescente demanda de VOD (vídeo sob demanda, em inglês).

 

Uma preocupação que norteia a organização do Festival  de Brasília do Cinema Brasileiro é a de fortalecê-lo como plataforma de lançamento da produção nacional no mercado internacional. Além disso, segundo o secretário d e Cultura, a mostra quer proporcionar um ambiente favorável para a construção de políticas públicas para o desenvolvimento do setor, uma das vocações de Brasília.

 

Nesse sentido, a curadora Karina de Carvalho propôs a realização de um seminário sobre o futuro da economia criativa do audiovisual. “Essas ideias vão dar mais peso político ao encontro”, aposta ela.

 

Durante o encontro, o conselho curador do Festival falou sobre possibilidades de formatos, como a exibição dois curtas e um longa-metragem diariamente durante os sete dias da mostra competitiva, por exemplo. As mostras paralelas vão abrigar amostragens de produções regionais como a tradicional Mostra Brasília, e outras exibições organizadas em tornos de eixos temáticos: cinema de crise, de guerrilha, de futuro, séries e ainda uma amostra do trabalho de personalidade aclamada do cinema. 

 

O Festival manterá como local principal o Cine Brasília, mas outros espaços, no Centro Cultural da República, no Espaço Cultural Renato Russo, entre outros, serão sede de atividades.