Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/01/18 às 17h46 - Atualizado em 13/11/18 às 15h08

Escolas de Samba animam pré-carnaval de Brasília

COMPARTILHAR

“O samba da minha terra deixa a gente mole. Quando se canta todo mundo bole.” E os foliões da capital já têm data marcada pra mostrar que não são ruins da cabeça, nem doentes do pé. Dia 2 de fevereiro, a partir das 19h, entre a Torre de TV e a Funarte, no Brasília Samba Show. Além de curtir o batuque das escolas de samba do grupo especial, a programação terá shows de Martn’ália e Xande de Pilares. Tudo de graça.

 

Além de garantir toda a estrutura para que a festa aconteça de forma segura para o folião (equipamento de som e iluminação, palco, banheiros químicos, entre outros, UTI Móvel, entre outros), a Secretaria de Cultura custeou os cachês das seis agremiações e dos dois artistas nacionais. O investimento total na organização do evento, que integra a programação oficial do Carnaval, é de R$ 955 mil.

 

O processo de reinserção das escolas de samba no Carnaval de Brasília faz parte da nova política adotada pelo Governo do Distrito Federal para a organização das festividades carnavalescas de uma forma sustentável, desonerando os cofres públicos e ampliando a participação da iniciativa privada, como forma inclusive de gerar mais emprego e renda.

 

Em 2017, as escolas do grupo especial receberam R$ 300 mil para se apresentar para os foliões de vários blocos de rua. Além do apoio financeiro, o governo criou um canal de diálogo permanente com as agremiações. Formado por representantes das escolas de samba e gestores das secretarias de Cultura, Turismo, Cidades e Território, o Grupo de Trabalho estuda meios de as agremiações captarem recursos ao longo de todo o ano, com eventos, oficinas e parcerias com a iniciativa privada.

 

Compõem o Grupo Especial das Escolas de Samba as agremiações Aruc, Acadêmicos da Asa Norte, Império do Guará, Águia Imperial de Ceilândia, Bola Preta de Sobradinho e União da Vila Planalto e Lago Sul.