Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/05/21 às 10h36 - Atualizado em 18/06/21 às 10h50

‘Cultura em Todo Canto” valoriza arte nas RAs

COMPARTILHAR

Texto: Úrsula Rodrigues /Editor: Sérgio Maggio (Ascom Secec)

19/05/2021

10:43:02

 

Cultura em Todo Canto

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF (Secec), por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), vai destinar R$11,56 milhões para até 158 projetos criativos na categoria “Cultura em Todo Canto”, do edital FAC Brasília Multicultural. A proposta é contemplar agentes culturais 32 Regiões Administrativas (RAs) do Distrito Federal, prestigiando, assim, a arte de cidades com histórico de menor investimento em cultura. A categoria também conta com reserva de vagas para Pessoas com Deficiência e para aqueles que nunca tiveram acesso aos recursos anteriormente.

 

O FAC Brasília Multicultural é um edital composto por cinco categorias no valor de R$ 53,64 milhões para, ao menos, 802 projetos. As inscrições seguem até 18.6 para agentes culturais com CEAC válido.

 

Acesse na íntegra 

Edital 6 – FAC Brasília Multicultural

 

 

A Secec promoveu live tira dúvidas sobre a categoria Cultura em todo canto nesta sexta-feira (21.05) às 17h, em seu canal do YouTube. Acompanhe e fique por dentro de todas as etapas do edital.

 

 

ARTE NO TERRITÓRIO

 

As áreas contempladas estão divididas, pelo edital, em macrorregiões, conforme a proximidade entre uma e outra, que terão direito a entre R$1 milhão e R$1,8 milhão cada uma para a realização das propostas de seus agentes culturais. Dessa forma, as ações para um território não podem ser celebradas em localidade diferente. O proponente também deve residir em endereço pertencente à macrorregião à qual submeteu o projeto.

 

Rogério Almeida, produtor cultural e idealizador do projeto “Ser Criança”, vê o edital como um motivo de esperança para as artes no pós-pandemia. “Agora que tudo está voltando aos poucos, por causa do início da vacinação, acompanho cada edital. E incluir as cidades do DF foi uma melhora, pois são os lugares onde mais falta apoio”, diz.

 

O projeto “Ser Criança” é busca tratar temáticas sociais e de autoproteção por meio do teatro. Destinado ao público infantil, sua narrativa teatral ensina, de maneira lúdica, como se proteger das drogas, dos perigos da internet e de outras violências. Almeida relata que, antes da crise sanitária ocasionada pela pandemia de Covid-19, o grupo fez apresentações por RAs como Ceilândia, Taguatinga e Varjão.

 

DESCENTRALIZAR 

A fim de obter dados, a Secec realizou uma pesquisa comparativa entre as RAs. Para isso, considerou os números mapeados no Cadastro de Entes e Agentes Culturais (CEAC). Dessa maneira, verificou-se que o Plano Piloto e as regiões mais ricas do DF possuem maior concentração de registros de produtores culturais, além de mais projetos aprovados.

 

A população do Plano Piloto equivale a 7,4% da população do Distrito Federal, enquanto a população da Ceilândia equivale a 16%. No entanto, em relação ao número de CEACs, o Plano Piloto tem significativamente mais cadastros, com quase 30% do total, enquanto a Ceilândia, por exemplo, usando a mesma base comparativa, tem algo em torno de 7%.

 

Águas Claras, Arniqueiras, Brazlândia, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Estrutural, Fercal, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Itapoã, Jardim Botânico, Paranoá, Park Way, Planaltina, Pôr do Sol, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, SIA, Sobradinho I e II, Sol Nascente/Pôr do Sol, Taguatinga, Varjão, Vicente Pires e Vilas Telebrasília e Planalto são as RAs favorecidas pelo edital.

 

PONTUAÇÂO EXTRA

A pontuação extra será distribuído a, no mínimo, nove RAs que não tiveram projetos contemplados por proponentes residentes da região. “Por exemplo, se alguma dessas cidades não recebeu nenhum projeto, mas teve projetos inscritos que atingiram, na etapa de mérito cultural, no mínimo 70 pontos, e que cumpriram os demais critérios para classificação, será selecionada a com melhor pontuação”, explica João Moro, subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural.

 

CULTURA EM TODO CANTO

A maior virtude da categoria é a descentralização. O Cultura em Todo Canto vai contemplar agentes culturais de Regiões Administrativas, prestigiando, assim, a arte de cidades com histórico de investimento em cultura mais baixo. Serão aportados mais de R$ 11 milhões, em ao menos 158 projetos.

 

ANEXO_IV_Descricao_da_Categoria_Cultura_em_Todo_Canto

ANEXO IX – Cultura em Todo Canto – Formulário de Inscrição

 

As inscrições ocorrem por meio do sistema eletrônico disponível no endereço http://editais.cultura.df.gov.br/#/login. Os projetos culturais devem ser enviados com toda a documentação necessária até as 18h do dia 23 de junho de 2021.

 

O projeto deve conter ao menos um item de ajuda técnica e tecnologia assistiva para Pessoas com Deficiência (PcDs), como interpretação em libras, leitura labial, braile, audiodescrição, elevadores e rampas, por exemplo.

 

É indispensável que o proponente tenha sua situação regularizada no Cadastro de Entes e Agentes Culturais (CEAC). O edital N° 6/2021, a categoria Cultura em Todo Canto, assim como os demais anexos, estão disponíveis na íntegra no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e no site do Fundo de Apoio à Cultura.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br