Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/11/19 às 16h59 - Atualizado em 9/11/19 às 16h59

Cooperação entre Biblioteca Nacional e escritores de Brasília inaugura evento mensal

COMPARTILHAR

Contação de histórias infantis e bate-papo de escritores com público adulto ocorrerá todo primeiro sábado do mês

 

Os autores de livros infantis e infantojuvenis Pedro Ivo e Nando Alves deram início hoje (9) de manhã na Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) a uma iniciativa que vai acontecer todo primeiro sábado do mês (este foi exceção) até outubro de 2020, quando a capital completa 60 anos. O Espaço infantil da BNB receberá mensalmente dois autores de livros para esse público, numa cooperação da maior biblioteca pública da capital com o Sindicato dos escritores do DF (Sindescritores).

 

A ideia é aumentar a ocupação dos equipamentos públicos com atividades gratuitas que atendam aos interesses da população. “Não queremos apenas um prédio de rara beleza, desenhado por Niemeyer, mas também um espaço que ofereça atividades de qualidade dentro do leque de serviços que a BNB tem ampliado”, diz o subsecretário do Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), Cristian Brayner.

 

Hoje dezenas de crianças acompanhadas de pais e familiares puderam experimentar a novidade. O escritor Pedro Ivo apresentou o projeto “O Cerrado na Escola”. A série de 14 livros com personagens que representam a rica fauna do bioma, como o lobo-guará, a onça-pintada e o gavião-carijó, que dão título às brochuras. “Trata-se de uma coleção que desperta o interesse das crianças para a natureza, ajudando a formar uma consciência de preservação”, comenta o autor. Ivo teve quatro dos títulos selecionados entre as três melhores obras das edições de 2016 e 2017 do International Latino Book Awards (EUA). “O Cerrado Na Escola” também foi contemplado no 17º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente na modalidade “Sociedade Sustentável” do ano passado.

 

Olhos arregalados dos pequenos e respiração contida ocuparam o espaço quando o outro autor convidado, Nando Alves, contou com requintes de teatralidade seu livro “Tem um monstro batendo na porta”. No texto, Alves, com quatro títulos publicados, ajuda crianças a conviver com os medos que acompanham o crescimento em casas onde é muito comum que apenas exista presente no dia a dia a figura da mãe.

 

Alfabetizador da Escola Classe 218 em Santa Maria, servidor do DF há 27 anos, ele afirma que a falta da figura do pai presente na vida das crianças ocorre em quase 70% das famílias. Isso acaba fazendo com que os alunos e alunas tenham muito vínculo com o professor, e ele tenha se sentido motivado a produzir um trabalho que ajude as mães no manejo da disciplina de filhos, principalmente em relação a não ver filmes e programas que vão atrapalhar o sono. “Muitas crianças chegam para mim depois de ler o livro e confessam que desobedecem a orientação de pais, assistindo a coisas na TV e na Internet que não são adequadas para a idade delas”.

 

Enquanto a contação de histórias no Espaço Infantil se voltava para as crianças, no auditório do segundo andar da BNB um encontro de escritores de suspense dava o tom do mês de Halloween. Leram minicontos desse gênero para plateia adulta interessada no assunto.

 

O presidente do Sindicato dos escritores do DF, Marcos Linhares, entende que a cooperação entre Sindescritores e Secec inaugura uma fase muito importante no uso das bibliotecas. “Estamos certos de que iniciativas desse tipo vão aproximar o público leitor de Brasília da literatura que produzimos aqui”.