Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
17/05/22 às 11h09 - Atualizado em 6/10/22 às 12h35

Conselho de Cultura renova composição

Texto: Déborah Gouthier. Edição: Sérgio Maggio (Ascom Secec)
17/5/2022

11:06:02

 

Ouça o resumo da notícia

 

 

 

Tomam posse nesta terça-feira (17/5), às 19h, os novos conselheiros titulares do Conselho de Cultura do Distrito Federal (CCDF), eleitos como representantes da sociedade civil. O pleito ocorreu em abril, e o mandato se estende pelos próximos três anos.

 

foto: Marina Gadelha - SECEC/DF

“A nova composição do CCDF é ainda mais representativa e inclusiva, e aponta para ampliar a participação de todes representantes dos vários segmentos culturais do DF”, celebra a presidente do Conselho, Elizabeth Fernandes.

 

São quatro novos conselheiros: Carol Ribeiro, eleita para “políticas afirmativas”; Felipe Vitelli e Neide Nobre, representando as “linguagens de arte e cultura”; e Wellington Nascimento, para “economia criativa”.

 

 

A cerimônia de posse é aberta à comunidade cultural e realizada por meio da plataforma Zoom, com inscrições prévias.

 

OS NOVOS CONSELHEIROS
A jornalista e produtora cultural Carol Ribeiro é a primeira mulher trans a integrar o Conselho de Cultura do DF. Atua em campanhas e projetos de comunicação, poesia e inclusão, com foco no respeito à identidade LGBTQIA+ e na valorização das mulheres. Em 2021, ela foi uma das vencedoras do Prêmio LGBTQIA+, promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF.

 

Para ela, existe uma responsabilidade em ocupar esse espaço.

 

Geraldo Ramiere

 

“A cultura é das mulheres e dos LGBTs há anos, mas essa ocupação dos espaços de poder é recente. Não sabia o que era ver uma mulher trans à luz do dia. Quero exercer esse papel, mas também ser um exemplo de que as políticas públicas de cultura promovidas no DF funcionam porque eu sou a prova disso”, destacou.

 

Para o artista plástico, poeta e ativista cultural Felipe Vitelli, a participação no CCDF gera as melhores expectativas possíveis, pois representa uma oportunidade de trabalhar por uma descentralização ainda maior dos recursos e políticas culturais em todo o Distrito Federal, fortalecendo a Lei Orgânica da Cultura (LOC). Vitelli compôs o Conselho de Cultura na gestão de 2016 a 2018 e também é membro de diversas entidades culturais do DF, como a Academia Planaltinense de Letras e a Associação Cultural Tribo das Artes, além de integrar a Cia de Teatro H2O e Cara D’Palco.

 

Joaquim Dantas

 

“Não existe uma única Brasília. São 33 cidades que costumavam ficar à margem das políticas, então nossa expectativa é de um reconhecimento ainda maior dessa nossa identidade. E também fazer todo o possível para fortalecer os Conselhos Regionais de Cultura (CRCs)”, explicou.

 

Assim como ele, também representando as diversas Linguagens de Arte e Cultura está Neide Nobre, ativista e produtora cultural, voluntária da Lei Aldir Blanc desde 2020 e membro do Fórum de Teatro do DF e dos Movimentos Organizados pela Cultura e pela Valorização do Artesão. O foco da atuação no CCDF, segundo ela, será em estabelecer redes e dialogar com os fazedores de cultura, agindo como ponto focal nas Regiões Administrativas, e fortalecendo os Conselhos Regionais de Cultura.

 

 

Maísa Coutinho

 

“É essa uma das funções de conselheiro,  promover a participação da sociedade civil e a ampliação da escuta das comunidades, para que as demandas e a identidade particular de cada RA seja entendida e respeitada, de modo que a gente possa trabalhar as políticas públicas alcançando cada canto do DF”, disse.

 

Wellington Nascimento foi indicado pela sociedade civil para, a partir de agora, ocupar a vice-presidência do Conselho. Sobre a atuação, ele destacou a importância da discussão da economia criativa na cultura do DF.

 

“Nada seria mais importante para o nosso setor produtivo do que ter linhas claras de escoamento, de criação de produtos e de financiamento para que isso aconteça. E a partir daí, ver a cultura do DF tomando seu lugar de direito no mundo”, esclareceu ele, que é ator, filósofo e pós-graduado em gestão de negócios.

 

Nascimento já foi subsecretário de Cultura no DF, é ex-secretário executivo do Fórum Nacional de Secretários de Cultura e também foi membro do Conselho Nacional de Políticas Culturais. “Brasília tem essa importância, precisa refletir seu papel no mundo e a economia criativa tem um serviço de impulsionar os negócios e abrir caminhos pra que a arte possa tomar seu espaço devido”, emenda.

 

CCDF
O CCDF é uma estrutura paritária, composta por representantes do Poder Público e da sociedade civil. Entre suas missões está a proposição de programas, diretrizes e políticas públicas de cultura, assim como o acompanhamento e avaliação das políticas em execução, segundo as metas e ações consolidadas no Plano de Cultura do DF. O Conselho constitui o principal espaço de articulação e participação social de caráter permanente no Sistema de Arte e Cultura do Distrito Federal.

 

Saiba mais sobre o CCDF

 

Nesse mandato, as sessões ordinárias do CCDF serão realizadas duas vezes ao mês, em dois horários distintos, sendo a primeira das 19h às 22h e a segunda das 15h às 18h. “Até o novo horário das reuniões, decidido pelo novo Plenário, busca favorecer a presença daqueles que por um motivo ou outro não têm as noites livres,” destaca a presidente do Conselho.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)
E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br