Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/07/20 às 14h31 - Atualizado em 23/07/20 às 16h50

Clube de Leitura da BNB comemora um ano com livro “A Vegetariana”

COMPARTILHAR

Encontro remoto acontecerá dia 29/7; reunião de agosto oferece Saramago e Chico Buarque entre outras celebridades

 

Pode uma mudança de dieta para o vegetarianismo transformar a vida de uma mulher e sacudir relações de gênero? A resposta está no livro “A Vegetariana” (2007) da sul-coreana Han Kang, escolha do Clube de Leitura da Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) para discussão no próximo encontro virtual, no dia 29 deste mês, quarta-feira, às 18 horas. O encontro de agosto já projeta feras como Saramago e Chico Buarque.

 

O Clube de Leitura da BNB, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), está comemorando um ano de atividades. Foi lançado em 2019, em junho, durante a 35ª Feira do Livro de Brasília, quando integrou o 1º Encontro de Clubes de Leitura do DF, reunindo agremiações afins da Universidade de Brasília (UnB), Câmara dos Deputados, livraria Sebinho e blogs “Leia Mulheres” e “Calangos Leitores”. Desde então foram oito encontros presenciais, uma “live” no Instagram da BNB e um debate on-line.

 

“O objetivo principal é reunir pessoas interessadas em trocar conhecimentos e experiências através da leitura e do debate de variados gêneros literários”, explica a servidora da Secec e mediadora do encontro que promoverá conversa sobre o livro de Kang, Mariana Giubertti Guedes Greenhalgh.

 

A curadoria dos livros é feita por uma comissão de cinco servidores que buscam equilibrar, na seleção das obras, o gênero dos autores e a mescla de clássicos com textos contemporâneos. Antes do fechamento de espaços públicos imposto pela pandemia do Covid-19, a obra escolhida levava em conta também a disponibilidade do título no acervo da BNB, a maior biblioteca pública do DF.

 

Seguindo o formato compartilhado por outros grupos de leitura, a escolha final do livro é feita pelos próprios participantes nos encontros (neste momento virtuais). Tudo começa com votação, nos perfis da BNB nas redes sociais, em um dos seis títulos propostos. Os três mais votados no processo – que sempre se encerra na segunda-feira, às 12h, da semana do encontro – são levados para o grupo bater o martelo.

 

Mariana ressalta o trabalho coletivo do clube: “os participantes também sugerem temas e títulos para a curadoria, e a discussão é bem livre, com as pessoas ficando à vontade para fazer suas considerações. O mediador direciona a conversa a partir de momentos de silêncio, tentando trazer questões que ainda não tenham sido abordadas.”

 

Experiência gratificante
Elaine Jansen de Souza (foto abaixo à direita), 33, formada em Biblioteconomia pela UnB e fazendo a segunda graduação em Letras Japonesas na instituição, acompanha o grupo desde o início: “tem sido uma experiência gratificante e de muito aprendizado. Pude ler obras incríveis que já tinha vontade de ler e outras que pude conhecer graças ao clube. Nos encontros, me sinto muito acolhida e bem à vontade. Sou uma pessoa tímida, e o clube também tem me ajudado a melhorar um pouco a inibição de falar em público”. Natural de Brasília, mora atualmente na Cidade Ocidental (GO).

 

Camila Cirino, 30, também formada em Biblioteconomia pela UnB,é outra participante assídua dos encontros literários. “Apesar de gostar de ler desde criança, depois de adulta comecei a perceber que a leitura por prazer já não estava tão presente na minha vida como antes. Quando soube da inauguração do Clube de Leitura da BNB, fui movida pela curiosidade e também pela esperança de que seria a motivação que me faltava para ler mais.”

 

Mineira de Patos de Minas, na capital federal desde 2002, ela participou de todos os encontros presenciais e agora acompanha os debates remotos. “Além de ter conseguido voltar a ter uma constância no ritmo de leitura, estou tendo a oportunidade de conhecer novos autores, assim como ter contato com diferentes perspectivas que cada leitor pode ter da mesma obra”, relata.

 

Camila recomenda a experiência: “todos deveriam experimentar pelo menos uma vez, para sair da zona de conforto, não só no que diz respeito à literatura, mas também à visão de mundo.”

 

O encontro de agosto do Clube de Leitura da BNB, sempre na última quarta-feira de cada mês, tem como obras indicadas pelos curadores uma lista com pesos pesados: José Saramago, “Ensaio sobre a cegueira” (Prêmio Camões); Ligia Fagundes Telles, “Ciranda de pedra” (Prêmio Jabuti); Chico Buarque, “Leite derramado” (Prêmio Camões); Paulina Chiziane, “Niketche: Uma História de Poligamia” (Prêmio José Craveirinha de Literatura); Isabela Figueiredo, “A gorda” (Prêmio Urbano Tavares Rodrigues) e Valter Hugo, “Mãe – O Filho de Mil Homens” (Prêmio José Saramago). Para votar, basta entrar nos perfis sociais da BNB e deixar a opção nos comentários (veja ao final da matéria).

 

Papel da BNB
A nova diretora da BNB, Elisa Raquel Sousa Oliveira (foto abaixo), destaca o papel do Clube do Livro na divulgação do acervo da biblioteca. Valoriza que os dez encontros já realizados tenham reunido quase uma centena e meia de participantes.

 

Formada pela Universidade Federal do Maranhão e tendo trabalhado na biblioteca do Tribunal de Justiça do estado e coordenado por oito anos o sistema de bibliotecas do Instituto Federal de Brasília, (IFB), a gestora projeta expandir a inciativa.

 

“Com o sucesso dessa ação, pretendo disponibilizar a metodologia para outras bibliotecas públicas interessadas em implantar clubes de leitura, uma vez que também é papel da Biblioteca Nacional de Brasília oferecer suporte técnico para as demais bibliotecas públicas das Regiões Administrativas do DF”, diz.

 

Jornada Literária
O incentivo à leitura é uma das marcas da cultura e da educação no GDF, como atesta, por exemplo, a realização on-line da 6ª Jornada Literária do Distrito Federal, em Sobradinho, com inscrições abertas para as escolas da rede pública até sexta-feira (24). A ação tem como público os alunos dos ensinos médio e fundamental e recebeu R$ 200 mil do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), linha de fomento da Secec.

 

 

 

(Fotos dos arquivos pessoais das entrevistadas)

 

Serviço
Clube de Leitura da Biblioteca Nacional de Brasília
Próximo encontro: 29/7
Livro: “A Vegetariana” (2007), Han Kang
Instagram: @bibliotecanacionaldebrasilia
Facebook: https://m.facebook.com/bibliotecanacional.debrasilia/?locale2=pt_BR