Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/19 às 14h45 - Atualizado em 27/03/19 às 18h00

Catetinho passa por intervenção para remoção não destrutiva de enxames de abelhas

COMPARTILHAR

O Museu do Catetinho passará por manutenção para a retirada de três enxames de abelhas localizados entre os madeiramentos interno e externo do edifício. Por isso, ficará fechado de 29 de março a 1° de abril. A medida é necessária para garantir a segurança de funcionários e visitantes do local.

 

Em fevereiro de 2019, durante vistoria técnica, a equipe de Manutenção e Restauro da Secretaria de Cultura verificou a infestação de abelhas na edificação. Em setembro de 2018, um processo semelhante de retirada dos insetos foi realizado no museu.

 

Os técnicos responsáveis pela intervenção explicam que a retirada é não destrutiva e que a infestação acontece em vãos de ar criados pelas paredes de madeira da construção tombada, o que produz microclima propício a colmeias no ambiente local com intensa flora e fauna.

 

A retirada dos insetos é feita por empresa especializada no ramo de apicultura com qualificação em captura não destrutiva e remoção dos enxames para apiários de criadouros.

 

O serviço inclui retirada do madeiramento externo com o devido cuidado necessário à sua reutilização, colocação e fornecimento dos núcleos para atrair as abelhas, remoção e transporte para apiário de cultivo, limpeza mecânica das madeiras da edificação, retirando as ceras, própolis e mel e, finalmente, colocação de calafetagem com produto inibidor à entrada de novas colmeias. Todos os serviços são acompanhados e fiscalizados por servidores da SEC.

 

O procedimento deve considerar a função social do Museu e a duplicidade patrimonial envolvida na ação. O Museu do Catetinho foi a primeira residência oficial do Presidente JK em Brasília, entre 1956 e 1959, e foi tombado a pedido do próprio presidente, se tornando patrimônio histórico e cultural.

 

Ao mesmo tempo a espécie presente, a abelha europeia africanizada (Apis melífera), é patrimônio genético, por sua atividade polinizadora, ameaçada de extinção em razão de matança aleatória e indiscriminada pelo ser humano.

 

A retirada dos insetos é feita por empresa especializada no ramo de apicultura com qualificação em captura não destrutiva e remoção dos enxames para apiários de criadouros.

 

O serviço inclui retirada do madeiramento externo com o devido cuidado necessário à sua reutilização, colocação e fornecimento dos núcleos para atrair as abelhas, remoção e transporte para apiário de cultivo, limpeza mecânica das madeiras da edificação, retirando as ceras, própolis e mel e, finalmente, colocação de calafetagem com produto inibidor à entrada de novas colmeias. Todos os serviços são acompanhados e fiscalizados por servidores da SEC.