Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/06/18 às 1h08 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Brasília Junina premia 43 quadrilhas

COMPARTILHAR

Quadrilha Êta Lasquêra foi uma 43 premiadas pelo Brasília Junina 

 

 

 

Homenagem foi realizada em Sobradinho na tradicional Festa do Boi do Seu Teodoro

 

 

O Circuito Brasília Junina segue animado levando a tradição das quadrilhas e grupos populares para várias regiões administrativas. Neste sábado (23), o ponto alto da programação foi a entrega do Prêmio Brasília Junina 2018 a 43 grupos, coletivos e organizações de quadrilhas do Distrito Federal e Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride). O palco da premiação, promovida pela Secretaria de Cultura, foi a 56ª Festa do Boi do Seu Teodoro em Sobradinho, um dos mais simbólicos festejos juninos da região.

 

Cada um dos premiados recebe R$ 12 mil pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido em prol da valorização da cultura popular. A lista dos vencedores da premiação foi publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira (21).

 

Ao entregar o troféu Brasília Junina e o certificado que simbolizam a conquista a cada um dos premiados, o secretário de Cultura, Guilherme Reis, explicou que a premiação integra a política Brasília Junina, consolidada no Decreto nº 38.385/2017 como estratégia para fortalecer, proteger e fomentar os festejos juninos e suas cadeias produtivas. “Essa é uma iniciativa permanente da Secretaria de Cultura de reconhecimento de toda a trajetória e do valor artístico e cultural dos grupos, coletivos e pessoas que fazem o movimento junino do DF, um dos mais importantes do Brasil”, elogiou.

 

 


O governador Rodrigo Rollemberg também acompanhou a premiação. “São centenas de jovens que fazem as quadrilhas juninas no DF, resgatando o que há de melhor na cultura Nordestina. E a partir de agora, por meio da premiação, do circuito junino e dos editais, o apoio e o fomento às quadrilhas juninas se tornou política pública de estado”, disse.

 

 

Para Márcio Nascimento, coordenador da geral da quadrilha Êta Lasquêra, uma das vencedoras, o Circuito e a premiação Brasília Junina são iniciativas fundamentais para a manter vivo o movimento junino do DF. “Além da parte cultural, as quadrilhas desempenham um serviço social importante tirando muitos jovens da marginalidade, mas a falta de apoio público fez com que muitos grupos tradicionais acabassem. Por isso, o movimento agradece esse reconhecimento de fazer parte da cultura do Distrito Federal”, resumiu.

 

“O esforço de colocar uma quadrilha para se apresentar nos arraiás é muito grande. O Prêmio Brasília Junina é um apoio muito importante para custear figurino, cenografia. Esse projeto é maravilhoso!”, definiu Bruno Anderson, da quadrilha Busca Fé. “Esse apoio vai nos ajudar a continuar aprimorando o nosso trabalho e levando a cultura popular do DF para todo o Brasil”, avaliou Maria Heloísa Martins, do grupo Si Bobiá a Gente Pimba.

 

Além da apresentação de duas das quadrilhas premiadas – Êta Lasquêra e Sanfona Lascada – a Festa do Boi do Seu Teodoro este ano ainda teve Boi de Itapuã, Tambor de Crioula do Seu Teodoro, Orquestra Alada Trovão da Mata, shows de Pardal da Saudade & Azulão da Mata, e Carlos Silva e Trio Forrozado.

 

Este sábado também teve arrasta-pé do Circuito Brasília Junina 2018 no Paranoá, com show do Forró Bambolê e apresentação de grupos juninos na etapa competitiva da Liga Independente de Quadrilhas do Distrito Federal e Entorno (Linq-DFe). A festa continua no domingo (24), no estacionamento em frente à Administração Regional (veja abaixo a programação).

 

No último final de semana 6 mil pessoas passaram pelo festejo em Ceilândia, que contou com 25 quadrilhas, show de forró e repente com artistas locais. Nas próximas semanas o Circuito Brasília Junina vai passar por Águas Lindas de Goiás, Samambaia, São Sebastião e Taguatinga. A festança segue até o dia 29 de julho. A realização de todo o evento nesta terceira edição conta, pela primeira vez, com parceria de uma organização da sociedade civil, a Imaginário Cultural.

 

Em 2018, cada uma das quadrilhas selecionadas por meio de chamamento público para se apresentar em um dos vários eventos do circuito também vai receber apoio financeiro de R$ 12 mil. Da primeira para a segunda edição do Circuito Brasília Junina, o número de grupos participantes quase dobrou, passando de 27 para 40.

 

Além do Brasília Junina, a dinâmica de parceria entre poder público e sociedade civil na área da cultura já vem sendo aplicada com sucesso, desde o ano passado, na gestão de outras políticas públicas, como o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, e de espaços culturais, a exemplo do Centro de Dança do DF e Memorial dos Povos Indígenas.