Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/02/19 às 12h25 - Atualizado em 27/02/19 às 12h25

Baile de carnaval anima alunos no Sol Nascente

COMPARTILHAR

O Bloquinho da Cultura fez a alegria das cerca de 680 crianças da Escola Classe 66 do Sol Nascente na manhã desta quarta-feira (27). Com apresentações artísticas, música e muita animação, os alunos brincaram e aprenderam sobre o carnaval.

 

A iniciativa promovida pela Secretaria de Cultura é parte do projeto Carnaval Social lançado este ano e que visa difundir as ações artísticas e culturais nas Regiões Administrativas do Distrito Federal, seguindo compromisso do governador Ibaneis Rocha. Além de shows e apresentações, a ideia é levar capacitação e conhecimento às comunidades, de maneira a fomentar a produção cultural.

 

“Levar a Cultura para dentro das escolas é essencial para ajudar na formação das crianças, além de ser uma ferramenta importante no combate à evasão”, explicou o secretário de Cultura Adão Cândido. Para ele, o projeto tem capacidade de ser expandido para outras regiões e pode ser feito durante todo o ano.

 

A iniciativa foi enaltecida pelo administrador do Sol Nascente, José Goudim Carneiro, que destacou a relevância deste tipo de atividade em comunidades fora do Plano Piloto, que muitas vezes não têm acesso à Cultura. Para ele, isso faz com que a juventude tenha a perspectiva de um outro mundo, de uma realidade que é muito distante. “Decisões políticas são importantes para mudar essa realidade e trazer para perto estas oportunidades”, disse.

 

“Aliar a Cultura com a Educação complementa a formação dos alunos e engradece todo o processo de ensino, não só no Sol Nascente, mas em todo o DF”. Essa é a visão do coordenador da Regional de Ensino da Ceilândia, Marcos Antônio de Sousa que também participou do evento.

 

Cultura e diversão

Fantasiados, usando máscaras e acessórios, os alunos da Escola Classe 66 do Sol Nascente chegaram na quadra de esportes ainda tímidos, desconfiados do que iria acontecer. A pequena Carolina, de 5 anos, estava com medo do boneco de Olinda. “É uma pessoa muito grande”, confessou assustada. Mas ao primeiro toque de tambores da bateria mirim da Águia Imperial da Ceilândia, ela e as outras crianças se animaram e a folia começou. Confetes, serpentinas e alguns passos ensaiados deram o tom do bailinho.

 

O evento também falou sobre a história do carnaval. Contadores de histórias vestidos a caráter contaram a história da folia de Momo, e as particularidades em cada região do país. O Boi Bumbá do Maranhão, passistas de escolas de samba do Rio de Janeiro e mesmo a festa pernambucana foram lembrados. “Carnaval vai além da festa. É a história e a Cultura do povo brasileiro”, lembrou o secretário de Cultura.