Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/11/19 às 17h31 - Atualizado em 6/11/19 às 17h32

Alunos do “Projeto Voluntário na BNB – Línguas Estrangeiras” recebem certificados do idioma francês

COMPARTILHAR

 

Vice-governador Paco Britto parabeniza Secec, cuja gestão defende uso de equipamentos para promover mobilidade social

 

Alunos do Curso Básico de Francês do “Projeto Voluntário na BNB – Línguas Estrangeiras” receberam hoje (6) no auditório da Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), no Conjunto Cultural da República, os certificados de conclusão do curso.

 

Os diplomas foram entregues pelo subsecretário de Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e professor voluntário da turma, Cristian Brayner, pela diretora da BNB, Marmenha Rosário e pela assessora do vice-governador do DF, Paco Britto, Ana Lúcia Moura.

 

Ana Lúcia Moura falou do entusiasmo do Governo do Distrito Federal com a iniciativa, que transmitiu uma mensagem do vice-governador Paco Britto aos presentes. “O BNB Línguas Estrangeiras, criado pelo GDF, por meio da Biblioteca Nacional de Brasília, é uma realidade para quem quer crescer e se inserir no mercado de trabalho. O conhecimento de uma língua certamente contribuirá para enfrentar esses desafios”.

 

Defendeu ainda a oferta de outros cursos, inclusive fora do Plano Piloto. “O programa congrega diversas Brasílias com suas peculiaridades. Em nome do Governador Ibaneis e em meu nome, quero parabenizar o secretário Adão Cândido, o professor Cristian Brayner, que ministrou as aulas, e toda equipe, pelo empenho e dedicação a esse projeto que nasceu destinado ao sucesso”, continuou o texto assinado pelo vice-governador.

 

Na mesma linha, Brayner discursou que “equipamento cultural precisa produzir mobilidade social, não basta ser um prédio bonito como este, joia arquitetônica do modernismo, assinado por um dos maiores arquitetos do mundo, Oscar Niemeyer. As palavras do vice-governador fortalecem nossa missão e mostram que estamos no caminho certo”.

 

A cerimônia certificou 100 alunos das duas turmas que já cumpriram a carga-horária estabelecida. Foi o caso de Mércio Silva, 51, fotógrafo autônomo que se sentiu atraído para o idioma depois de assistir “Meia-Noite em Paris” (Woody Allen, 2011).

 

“Sei que o filme é falado em inglês, mas fiquei apaixonado pela cidade, que quero visitar com minha esposa algum dia”, explicou ele. Aluno assíduo, sem nenhuma falta, disse que já saberia pedir um café com croissant na França e afirmou que vai fazer o módulo intermediário, que abrirá inscrições ainda em novembro, com aulas previstas para o início de fevereiro de 2020.

 

Outras duas turmas de francês com mais uma centena de estudantes vão dar certificados nas próximas semanas.