Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/06/19 às 21h42 - Atualizado em 26/06/19 às 21h48

Agentes culturais são capacitados para acessar o FAC-Ocupação

COMPARTILHAR

Dando continuidade ao programa de capacitação nas políticas públicas e mecanismos de incentivo e fomento, a  Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) realizou, na noite desta quarta-feira (26) oficina sobre o Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

 

O encontro realizado no auditório do Museu Nacional da República foi uma oportunidade para agentes culturais e artistas conhecerem e tirarem dúvidas sobre o Fundo que apoia projetos de diversos segmentos artísticos. Somente em 2019, o FAC deve investir cerca de R$70 milhões nessas ações, de acordo com o secretário de Cultura e Economia Criativa em exercício, Cristiano Vasconcelos, o que torna este um dos maiores programas de incentivo cultural do país.

 

Vasconcelos explicou que a realização das oficinas visa democratizar o FAC, de maneira a alcançar cada vez mais pessoas. “Nossa proposta é tirar a dificuldade no acesso a este mecanismo, fazendo com que ele chegue em regiões onde nunca chegou”, disse. Ele enfatizou que as capacitações serão feitas nas 31 Regiões Administrativas do Distrito Federal, envolvendo os gerentes de cultura, para que se tornem multiplicadores.

 

Na ocasião o secretário Cristiano Vasconcelos anunciou o lançamento de novos editais focados neste público. “Vamos investir em ações que atinjam jovens em áreas de vulnerabilidade, e garantir que o FAC seja prioritariamente para pessoas que nunca o acessaram e que estão começando”.

 

FAC-Ocupação

Além explicar o funcionamento do programa de fomento, a capacitação detalhou o edital da linha Ocupação, lançado em abril de 2019 e que está com inscrições abertas até 25/07.  O diretor de modalidades de fomento cultural da Secec, Luiz Henrique Fernandes, falou sobre todas as etapas do FAC, desde a elaboração de projetos, acompanhamento, acesso ao site, seleção e resultados.

 

O subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural, João Moro, falou da relevância da iniciativa. “São R$7,7 milhões em projetos realizados em 11 espaços públicos, como a Casa do Cantador, Centro de Dança, Complexos Culturais de Samambaia e Planaltina e Setor de Diversões Sul, por exemplo”.

 

A próxima oficina será realizada na quarta-feira (03/07) às 19h na Casa do Cantador, em Ceilândia.