Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/12/19 às 17h16 - Atualizado em 28/12/19 às 17h16

Ação social no SCS reforça papel transformador da Cultura

COMPARTILHAR

Evento social em parceria com a Mala do Livro, contou com atrações culturais para o público local

 

O Setor Comercial Sul foi palco, neste sábado (28), do “Auto Estrelado”, ação social voltada aos cerca de 250 moradores de rua da região. A iniciativa, contou com a apresentação cultural dos grupos “Seu Estrelo” e “Fuá do Terreiro”, que encenaram o Mito do Calango Voador, reforçando o papel da cultura como ferramenta de desenvolvimento, inclusão e transformação social. 

 

A iniciativa, da Fundação Cultural Palmares, em parceria com o projeto social Barba na Rua e com a ONG Futuro Esperança teve a participação do projeto Mala do Livro, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec). Em clima festivo de fim de ano, o público pôde assistir a apresentação teatral, escolher livros e desfrutar de um almoço servido após o espetáculo preparado pelo chef Eduardo Moreth. Para as mulheres, foram distribuídos kits femininos, com uma bolsa e itens de higiene pessoal. 

 

De acordo com um dos idealizadores e organizadores do evento, Rogério Barba a festa tem como objetivo acolher e promover o acesso das pessoas em situação de rua à arte, cultura e lazer. Barba, que atua diariamente com ações para os moradores do Setor Comercial Sul, considera a cultura um dos pontos principais para o trabalho de inclusão social destes cidadãos. “Estamos reformulando a história do Setor Comercial Sul. Este tipo de trabalho humaniza e dá dignidade para estas pessoas”, conta.

 

Para o secretário Bartolomeu Rodrigues, que durante o evento aproveitou para realizar uma visita ao Beco do Rato, revitalizado em novembro deste ano pelo “Encontro do Grafite”, reconheceu a importância do projeto. O titular da pasta enfatizou a importância do acesso à cultura no SCS.  “Um trabalho como este serve principalmente para educar a sociedade e romper qualquer barreira de preconceito e discriminação. A cultura serve para promover o ser humano, buscando paz e harmonia”, disse.

 

 

Foto: Thiago Mattos/Ascom Secec