Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/06/19 às 12h14 - Atualizado em 12/06/19 às 16h27

Yutaka Toyota visita a Secretaria de Cultura

COMPARTILHAR

Na tarde de terça-feira (11), o artista plástico Yutaka Toyota fez uma visita de cortesia à Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Na ocasião, Toyota foi recebido pelo subsecretário do Patrimônio Cultural, Cristian Brayner, e apresentou um projeto em prol da paz mundial.

 

O artista nipo-brasileiro manifestou o interesse de doar ao Distrito Federal escultura de cubos de alumínio vazados, com iluminação interna. De acordo com Toyota, a peça, com elementos de inspiraçao japonesas e brasileiras, representa um gesto de paz mundial e seria um presente para o aniversário de 60 anos de Brasília.

 

O assessor do artista presente na reunião, Gianni Toyota, revelou que a obra poderá ser doada para várias capitais mundiais, significando paz entre as nações, mas ressaltou que a realização da iniciativa precisa de apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF. “O desejo de Yutaka Toyota é realizar um trabalho humanitário para Brasília e outras capitais do mundo”, destacou.

 

Os cubos representariam um símbolo de paz nas cidades contempladas. Para Toyota, capitais como Brasília, Beirute e Jerusalém se beneficiariam com as obras e seu significado humanitário. Para o idealizador da exposição “O ritmo do espaço”, programa de doação e montagem das obras nas cidades, seria um trabalho conjunto, abrangendo empresas, escolas e organizações que tivessem o anseio de promover a paz entre os povos.

 

O artista plástico declarou se inspirar na cultura brasileira como referência e harmonia entre os povos, como exemplo de país miscigenado, onde vários povos convivem em harmonia e ressaltou o seu desejo de presentear Brasília em seu aniversário de 60 anos, com a peça que sela a harmonia entre as nações.

 

Para o subsecretário de patrimônio cultural, Cristian Brayner, a proposta de Toyota é muito interessante para Brasília e garantiu buscar apoios para a realização das inserções nas peças nos países. Brayner sugeriu marcar com um encontro com as embaixadas, para buscar apoio financeiro, principalmente na embaixada do Japão, se tratando de peças de um artista nipo-brasileiro. “Este projeto atende as expectativas da Secec e nos auxilia iniciativa de promover a educação patrimonial. Parte dos candangos também é do Japão e as obras de Yutaka fazem parte do contexto cultural da cidade”, ressalta. O Subsecretário do Patrimônio Cultural se comprometeu a fortalecer as tratativas nos próximos meses para garantir a confecção da obra de arte.