Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/02/20 às 16h40 - Atualizado em 13/02/20 às 16h46

Vencedor do Oscar, o filme “Parasita” volta à programação da agenda cultural

COMPARTILHAR

 

Programação conta com variadas opções de teatro, oficinas e entretenimento

 

O fim de semana chega com a oportunidade de ver e rever um dos títulos vencedores do Oscar no Cine Brasília. Garantindo quatro estatuetas da premiação de cinema mundial, o aclamado filme coreano volta para a telona do Cine e fica até domingo (16), no horário nobre, às 20h15.

 

Para quem aprecia exposições, o Museu Nacional da República conta com três atrações recém-lançadas. No cenário nacional estão as mostras: “Orixás – Geometria, símbolos e cores”, do artista brasiliense Josafá Neves e “Construção Obsessiva” do artista baiano Aurelino dos Santos.

 

A terceira exposição em cartaz no MDNR traz as obras do americano Melvin Edwards, na galeria Acervo, que promete surpreender o público com questões relacionadas à opressão e violência contra a população afrodescendente no mundo.

 

Já para quem prefere teatro e oficinas o Espaço Cultural Renato Russo está com a agenda recheada. O sábado começa com a oficina gratuita de figurino e maquiagem. A aula dará noções estéticas e artísticas para construir uma narrativa para peças teatrais.

 

Renomada pelas peças teatrais, a casa cultural também conta com comédias, dramas e fecha o domingo com o clássico infantil “Saltimbancos”, em celebração aos 80 anos do dramaturgo Hugo Rodas.

Confira a programação completa dos equipamentos da Secec:

 

Complexo Cultural Samambaia

 

14/02 – Exposição – Para Além da Algemas 09h as 20h

Para Além das Algemas é uma exposição que revela parte das sensibilidades, afetos e angústias em imagens e poesias feitas por adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação de Planaltina (UIP), Recanto das Emas (Unire), São Sebastião (Uiss) e Santa Maria (Uism). Local: Sala de Leitura. Classificação indicativa livre Entrada franca.

 

14/02 Sarau da Dona Verônica – 20h

 

Em fevereiro tem carnaval e o Sarau da Dona Verônica vem com uma programação para nenhum folião ficar parado. Esquenta pro Carnaval no Sarau da Dona Verônica! A atração musical fica por conta do Bloco SamBambaia, Samba da Malandra, frevo com Alan Mariano e Discotecagem com DJ Kaju! Quem comanda a apresentação e poesia é nossa querida Jirlene Pascoal. Local: Galpão Garagem do Complexo Cultural Samambaia. Entrada franca.

 

14/02 – Oficina de capoeira 20h

 

Oficina de Capoeira ministrada pelo mestre Pedro Paulo. Local: Galpão Garagem. Classificação livre. Inscrição: R$ 40.

 

14/02 Oficina Canto Coral 9h

 

Oferecida principalmente para pessoas da terceira idade. Local: Sala Multiuso. Inscrições gratuitas.

 

14/02 Oficina de dança 19h

 

Oficina de danças populares carnavalescas, ministrada por Nego Val do Bloco Sambambaia. Local: Sala de Teatro.

Classificação Livre. Entrada franca.

 

15/02 Oficina Dançart 9h

 

O projeto “Dançart Especial” coordenado pela Professora e Coreógrafa Sonia Ramalho, oferece oficinas de Dança Inclusiva, que engloba teatro e música para pessoas com DV – Deficiência visual, DA – Deficiência auditiva, DI – Deficiência Intelectual, DF – Deficiência Física, DMU – Deficiência Múltipla, TGD – Transtorno Globais do Desenvolvimento e Síndrome de Down. Local: Sala de Dança. Classificação Livre. Entrada gratuita.

 

15/02 Batalha de Rima – 16h

 

Show de poesia falada, com diversos ritmos. Local: Galpão Garagem. Classificação indicativa livre. Entrada franca.

 

15/02 Oficina de Violão – 9h

 

Oficina de Violão ministrado pelo professor Nailson Artur. Local: Sala Multiuso. Classificação Indicativa livre. Inscrição: R$50.

 

15/02 Oficina de Mangá – 10h

 

Oficina de Mangá traz por meio do desenho, auxilio na concentração, coordenação motora, criatividade, com o objetivo de cada participante construir seu personagem. Local: Ateliê das Artes. Classificação livre. Entrada franca.

15/02 Dança pra todos 9h 45

 

Oficina de Forró, Forró puladinho e bachata com o Grupo Dança Brasília. Local: Galpão Garagem. Classificação livre. Entrada franca.

 

Complexo Cultural de Planaltina

 

13/02 Sarau Diversidade – 19h

 

Sarau Poético, Palco Aberto para artistas de Planaltina. Local: Foyer do CCP.Classificação livre. Entrada franca.

 

14/02 Sarau Diversidade convida Guerra do Flow – 19h

 

Batalha de Rima, Poesia e pockets shows no intervalo de cada fase Local: Teatro de Arena.. Classificação livre. Entrada franca.

 

15/02 Cinema “Vamos valorizar a terceira Idade”

 

O “Vamos valorizar a terceira Idade” busca promover ações de convivência e autoestima para 3° Idade. Local: CineTeatro. Classificação indicativa: Adultos. Entrada franca.

 

16/2 Talentos do Cerrado – 15h

 

Através de diversas manifestações culturais, inclusive com instrumentos eletroeletrônicos e equipamentos digitais, o concurso de talentos ofertará uma espécie de competição para os artistas inscritos, com uma premiação simbólica diluída em 3 categorias: Dança, Performance e Canto. Local: Teatro de Arena. Classificação Indicativa: Adultos. Entrada franca.

 

Centro Cultural Três Poderes

 

Exposição Memorial Tancredo Neves

 

Exposição com documentos, objetos, fotografias e vídeos que detalham a trajetória do presidente Tancredo Neves. Local: Panteão da Pátria. Entrada franca. Classificação Indicativa livre.

 

Exposição Lúcio Costa

 

Exposição contendo cópias do croqui e do relatório do Plano Piloto de Brasília elaborados pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa, fotografias de Brasília em diversas fase inclusive durante a construção e uma maquete escala 1:1000 que destaca a área do Plano Piloto. Local: Espaço Lúcio Costa. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Exposição Interiorização da Capital

Exposição que contém 16 textos de diversos autores e narra o processo de interiorização da capital brasileira desde a colônia até a inauguração de Brasília. Local: Museu Histórico de Brasília. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Catetinho

 

Exposição Permanente – O Palácio de Tábuas

Reconstituição da vida cotidiana da casa durante o período da construção de Brasília, quando abrigou o Presidente Juscelino Kubitschek e seus assessores. Os móveis e objetos originais foram preservados. Horários: 9h às 17h. Entrada Franca. Classificação livre.

 

Centro de Dança do Distrito Federal

 

Afro contemporânea – Obará

 

Dança: Segundas e quartas, de 20h a 22h, e aos sábados, de 10h a 14h. Percussão: Domingos de 10h a 13h. Inscrições e mais informações: projetobara@gmail.com. Inscrições gratuitas.

 

Afro contemporânea-Itans

 

Aula dedicada a aliar técnica e expressividade e ensinar aos alunos como adaptar nas rotinas coreográficas seu próprio toque pessoal. A atividade emitirá uma certificação da Universidade de Brasília pelo Coletivo de Documentação e Dança CDPDan aos alunos com mais de 75% das aulas

Terças e quintas, de 19h a 21h30, e aos sábados, de 14h a 16h30. Inscrições e mais informações: projetoitans@gmail.com. Inscrições gratuitas.

 

Cine Brasília

 

As quatro estatuetas do Oscar de Hollywood obtidas ontem (9) pelo filme sul-coreano “Parasita” – melhor filme, filme internacional, direção e roteiro original – mantêm o longa em cartaz no Cine Brasília até domingo (16), no horário nobre, às 20h15.

Continuam na programação do Cine Brasília até domingo os brasileiro “Inferninho” e o documentário polonês “Com amor Van Gogh – O sonho impossível”.

Programação de 13 a 16 de fevereiro

15h30 – “Com amor Van Gogh – O sonho impossível”, 16h45 – “Inferninho”, 18h30 – “Inaudito”, 20h15 – “Parasita”.
Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões. Endereço: Asa Sul, Entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

 

Espaço Cultural Renato Russo

 

Teatro – Medeia – A neta do Sol 14 a 016/02 – Sexta e sábado 20h – Domingo 19h

 

Medeia (Eurípedes 431 a.C.), considerada a primeira peça feminista, conta a estória de uma mulher estrangeira que foi abandonada pelo marido e rejeitada da pátria que lhe serviu de exílio. O diretor James Fensterseifer mesclou personagens, levando os atores Marcos Davi e Felix Saab a se desdobrarem nos papéis masculinos que rodeiam uma Medeia acuada e rancorosa, interpretada por Ana Paula Braga. Entrada: R$ 40 (inteira), 14 anos – Aquário superior.

 

Oficina – Figurino e Maquiagem 13 e 15/02 – 9h

 

Construir uma relação diversificada e possibilitar encontros para pesquisar corpo, estética, arte visual e narrativa do corpo através da maquiagem e figurino. Maquiagem: conhecendo materiais de maquiagem: técnicas de sombreamento, iluminação, desenhos e linhas do rosto, qual a função de cada material; Procedimentos básicos para uma maquiagem artística com poucos produtos: Make up clown, pancake, aquacolor, e outras maquiagens de baixo custo;

Figurinos: materiais potenciais para composições de figurino de baixo orçamento: tecidos, texturas, materiais sustentáveis, cola quente, super bonder e outros procedimentos para construção de figurino sem máquina de costura; Pintura corporal, quando a maquiagem não se limita ao rosto: técnicas de pintura corporal, elaboração de paleta de cores múltipla e diversificada a partir de três cores básicas; texturas, sombreamento, peles de animais, cobertura, camuflagem e outras técnicas; Ministrados por Larissa Hollywood e Fernando Cardoso. Inscrições gratuitas.

 

Teatro – Rinoceronte – 15/02 20h

 

Uma pacata cidade passa a ser perturbada pela estranha aparição de um rinoceronte em suas ruas. Logo, os bichos aparecem aos montes, frutos de metamorfoses voluntárias de seus habitantes. Em meio a esse absurdo grotesco, um morador resiste a não se transformar em rinoceronte, no fluxo contrário ao comportamento da sociedade. A montagem é baseada na peça homônima, marco do Teatro do Absurdo, expressão artística de vanguarda no período pós Segunda Guerra. “O rinoceronte”, na adaptação de Hugo Rodas, navega na metáfora, que o autor da peça, o romeno Eugène Ionesco, desenvolveu de uma atmosfera cínica, grotesca e inquietante, que remete ao efeito manada visto em muitas sociedades diante de poderes autoritários. Teatro Galpão. Classificação Indicativa – 16 anos. Ingresso: R$ 40 inteira.

 

Teatro – Mini Mostra infantil – 15 e 16/02 – 11h e 16h

 

Ópera de Gian-Carlo Menotti

Lucy recebe a visita do seu namorado, Ben. Ele deseja dizer-lhe algo muito importante: vai pedi-la em casamento. Mas ele não tem muito tempo porque vai fazer uma viagem e seu avião parte em uma hora. Ben é um rapaz muito tímido e para piorar, toda vez que ele tenta falar, toca o telefone ou Lucy liga para alguém. Classificação livre.Ingresso: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia.

 

Teatro – Mini Mostra Adulta 14/02 a 16/02 sexta e sábado 20h.

 

Cantora, atriz, professora, diretora, produtora, são algumas das funções que Janette Dornellas já exerceu em seus mais de 30 anos de carreira. Também traduz óperas para o português e faz as adaptações necessárias para que essas óperas agradem a todos. Nessa mini-mostra ela mostrará seus talentos em dois pequenos espetáculos, o monólogo: “O Ocaso de Norma Desmond” e a ópera: “O Telefone”. Um drama e uma comédia muito envolventes. Ingresso: R$ 30 inteira.

Classificação: 18 anos.

 

Os Saltimbancos – 16/02 – 16h

 

ATA – Agrupação Teatral Amacaca (DF) celebra os 80 anos de Hugo Rodas; radicado há mais de 40 anos no Brasil firmou-se como um dos mais talentosos e importantes artistas de seu tempo. A história é um clássico infantil: quatro animais, cansados de serem explorados no campo, decidem partir para a cidade e tentar a vida como músicos. Entrada: R$ 40 (inteira), Livre – Teatro Galpão.

 

Memorial dos Povos Indígenas

 

Agro não é Pop (até 16/02)

A exposição “O Agro Não é Pop”, do artista plástico indígena Denílson Baniwa. A mostra revela de forma sensível e simbólica a representação das propagandas em relação aos alimentos e o modo de vida do ser humano. Por meio de metáforas, misturando personagens de casos chocantes envolvendo índios, como a morte do Pataxó Galdino, o expositor guiou os educadores por suas pinturas, gravuras e retratos expostos no Memorial. Também permanecem em cartaz as exposições “Menire Bê Kayapó Djàpêj” (A mulher Kayapó e seu trabalho), e o Bosque das Línguas Indígenas. Horário de visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h. Classificação: Livre. Gratuito.

 

Museu Nacional

 

Orixás – Geometria, símbolos e cores – Josafá Neves

 

Com o objetivo de exaltar os símbolos sagrados das tradições religiosas das matrizes africanas, o Museu Nacional da República recebe a exposição “Orixás: geometria, símbolos e cores”, do artista brasiliense Josafá Neves. A mostra que estreia na próxima terça-feira (28) e fica em cartaz até 29 de março reúne a simbologia e as cores que caracterizam a força mística de 16 orixás cultuados no Brasil.

 

A exposição, que provoca o olhar do público em relação à história da cultura afro-brasileira, surgiu a partir de uma ampla pesquisa do artista plástico brasiliense sobre a mitologia africana. Para a materialização das obras, Neres se inspirou nas influências artísticas dos traços geométricos e da simbologia de cores característicos das obras de Rubem Valentim.

Composta de esculturas, pinturas a óleo sobre tela e instalações, o trabalho do artista segue a linha da arte contemporânea, traduzindo a mitologia africana em uma narrativa poética, respeitando a representação emblemática das divindades que representam a cultura afro-brasileira no país. Em cartaz: 29 de janeiro a 29 de março de 2020. Entrada Franca.

 

Construção Obsessiva – Aurelino dos Santos

 

O Museu Nacional da República abre em 7 de fevereiro a exposição “Construção Obsessiva”, com parte da impressionante obra do baiano autodidata diagnosticado com transtorno mental Aurelino dos Santos. Suas criações são comparadas a modernistas brasileiros do porte de Tarsila do Amaral e Alfredo Volpi.
A curadora da mostra, Thais Darzé, afirma que Aurelino tem um trabalho coeso, construído ao longo das cinco últimas décadas. “Geometrizada e refinada, rica em detalhes e com extrema organização em suas composições e proporções, sua obra reverencia a cidade, ruas e construções. Ao contemplá-la, temos a sensação de serem vistas aéreas urbanas, como se o artista andarilho mapeasse as rotas que percorre diariamente”, descreve a galerista de Salvador. Em cartaz: 07 de fevereiro até 29 de março de 2020. Entrada Franca.

 

Melvin Edwards

 

O Museu Nacional da República recebe no próximo dia 8 de fevereiro, com a mostra do artista americano Melvin Edwards. Em cartaz até 29 de março, as obras do artista retratam questões relacionadas à opressão e violência contra a população afrodescendente no mundo.

Compostas de correntes, ferramentas de ferro, arames farpados e peças de aço, as esculturas comunicam ao público problemas como segregação, preconceito, violência racial e escravidão. Em sua terceira temporada nacional, a exposição desembarca no Museu apresentando uma ampla gama de raciocínios desenvolvidos pelo artista ao longo de quase seis décadas de pesquisa sobre temas relacionados à opressão do povo negro. Em cartaz: 08 de fevereiro até 29 de março de 2020. Entrada Franca.

 

Museu Vivo da Memória Candanga

 

Exposição- “Image”, Casa Azul – Dupla exposição dos artistas plásticos Pierre & Costerus “Candido Faria – Um brasileiro em Paris”, Sala de Exposição.
Composta de três acervos que dialogam entre si com a temática de memória, afetividade e registro do tempo. Apresenta registros de vídeos, objetos e exemplares de lambretas antigas. A mostra fica em cartaz até março de 2020.O local ainda abriga e exposição permanente “Poeira, Lona e Concreto”, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro.Horário de Funcionamento: Segunda a sábado de 9h as 17h.

 

Oficinas:

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole.

Confira os dias e horários das oficinas:

Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários.
Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina do Papel (Fundação Pedro Jorge) – Quarta-feira de 14h às 17h.
Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta das 14h às 17h.
Horário: Segunda-feira das 14h às 18h30 e de terça-feira a domingo das 9h às 18h30