Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/01/21 às 14h36 - Atualizado em 20/01/21 às 14h53

Uma das mais importantes Cia. de Dança do Centro-Oeste, Alaya põe repertório na web

COMPARTILHAR

Texto/Edição: Ascom Secec

20.01.21

14:27:05

 

Sediada em Brasília, a Companhia/Núcleo Alaya Dança estende para as redes sociais as comemorações pelo aniversário de 30 anos, celebradas, em 2019, com o projeto  “Imagens Poéticas, Exposição Performance – Alaya Dança 30 anos”, reunindo performances, palestras e exposição com acervo de imagens, cenografias, trilhas sonoras e repertório que marcaram a história da companhia. O evento foi no Centro de Dança do DF, com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

 

Redes sociais da Alaya

Instagram

Facebook

Youtube

 

A nossa vontade era a de realizar a VIII Mostra de Intérpretes Criadores, mas ainda não conseguimos captar. Enquanto isso, estamos disponibilizando nosso repertório nas mídias sociais. Começamos com a exposição ‘Performance’ e vamos voltar no tempo até 1990, ano de criação da companhia”, explica Lenora Lobo, fundadora do grupo que trabalha o conceito de “teatro do movimento”, sintetizado por ela a partir das teorias do eslovaco Rudolf Laban (1879-1958) e do mineiro Klauss Vianna (1928-1992).

 

 

IMAGENS EM MOVIMENTO

Em 2018 e 2019, a Cia Alaya realizou o projeto “Manutenção” (FAC), reciclando seus intérpretes-criadores e dando oportunidade a novos artistas do movimento. No canal do Youtube, é possível assistir ao repertório: composições cênicas, resultantes de pesquisas com a arte coreográfica e com a poética brasileira do movimento.

 

 

O intuito, segundo Lenora, é “compartilhar com o público, artistas e estudantes da dança contemporânea uma parcela significativa das pesquisas que se entrelaçam e dialogam com outras áreas de inspiração, como as visuais, a sonora, as literárias e a rica cultura popular brasileira”. A Alaya ganhou diversos prêmios nacionais, como o Funarte Klauss Vianna.

 

 

Para resistir sob o impacto da pandemia de Covid-19 e a imposição de isolamento social, o Ayala produziu o clipe “Ser Morada Interior”.

 

 

“Compartilhar arte do movimento em isolamento se tornou um desafio para os artistas da dança e da imagem. Tentando soprar novos ventos oriundos do ‘ser morada interior’ ao espaço povoado por incertezas, o Núcleo Alaya, parceiros e o editor Dmitri Valença, expressam, na criação deste clipe, nossos desejos dançados por tempos mais harmoniosos”, diz a postagem.

Recentemente, a Alaya Dança.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br