Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/06/18 às 12h19 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Último fim de semana do projeto de dança Abrindo a Sala de Espera

COMPARTILHAR

Propondo a criação cênica e compartilhada entre público e artistas, projeto encerra neste fim de semana, com sessões no Centro de Dança do DF

 

Desde o início de junho, o projeto de dança Abrindo a Sala de Espera realiza circulação pelo Distrito Federal, propondo o encontro e o convite à criação cênica compartilhada entre público e artistas. Concebida e dirigida pela coreógrafa brasiliense Janaína Moraes, a obra encerra sua temporada de circulação de 2018 neste fim de semana, com duas sessões no Centro de Dança do DF nos dias 29 e 30 (sexta e sábado).

 

Sala de Espera é a primeira obra de concepção artística da coreógrafa Janaina Moraes, criada em 2013. Surge propondo olhar a dança contemporânea a partir de uma relação de pesquisa, costura e exercício do sensível, questionando comportamentos, burocracias e regras sociais que engessam as relações. Primeiro como espetáculo solo e depois em trio, a partir de 2014, a obra adquire o formato de experiência artística interdisciplinar e transitória, deixando qualquer traço de espetáculo.

 

Na obra, passam dançarinas/os, atores, músicos, musicistas, artistas visuais, plásticos, poetas, arquitetas e o público, que não é plateia. Todos esses ingredientes artísticos são congregados poeticamente em dança e em dramaturgia. A pergunta que permeia o processo de criação cênica de tantos encontros é: Como a gente se relaciona e se interessa junto, a partir da nossa formação, história de vida, memórias e modos de ver/pensar/fazer o mundo?

 

Em 2018, os artistas convidados para experimentar a cena e os encontros são os músicos Guiga Percussão e Jackson Bauer; a artista visual, tatuadora e grafiteira Iasmim Kali; a dançarina Laura Tonini, que já esteve na Sala de Espera em 2014; a dançarina Maritza Mota; e o ator e dançarino Raphael Balduzzi.

 

Por onde passou

A primeira montagem da Sala de Espera realizou várias sessões em Brasília, desde 2013, passando também pelo Paraná, Minas Gerais e pelo Fringe Festival, na Austrália. Em 2018, o projeto de remontagem Abrindo a Sala de Espera é realizado com fomento do Fundo de Apoio à Cultura (Secult/DF). Durante todo o mês de junho, Janaína Moraes e os artistas convidados abriram a sala na sede da Cia Lábios da Lua, no Gama; no Espaço Cultural Invenção Brasileira, em Taguatinga; e na Casa Ipê, em Ceilândia.

 

Mais sobre o espetáculo

Sala de Espera é uma obra de dança aberta, que não é espetáculo; uma experiência de formação artística e apreciação estética e poética. Nessa sala, lugar de transitoriedade e engajamento criativo, a coreógrafa Janaína Moraes identifica modos como comunidades emergem, debruçando seu olhar no encontro com pessoas e na interdisciplinaridade de linguagens, formações, experimentações e perspectivas da arte.

 

Sobre a diretora-coreógrafa

Janaína Moraes é dançarina e trabalha com a prática da Improvisação em Dança Contemporânea. Licenciada em Dança pelo IFB, pós-graduada em Estudos Contemporâneos da Dança pela UFBA e Mestranda em Artes Cênicas pela UnB. Trabalha com composição coreográfica há 5 anos e, desde então, tenho mergulhado em investigações que se interessam por processos abertos em composição, pela noção de convite para a construção poética e pelo encontro como motor de criação.

SERVIÇO

Abrindo a Sala de Espera – Últimas sessões

 

Quando: 29 e 30 de junho, sexta e sábado

Onde: Centro de Dança – Plano Piloto, SAN Quadra 1

Horas: às 18h e 20h

Entrada: R$ 20 ou R$ 10 (meia)

 

Classificação indicativa: livre

Informações: 61 9.9333.3884

Site: www.abrindoasala.com

Redes:@abrindoasaladeespera