Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/06/14 às 20h01 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Turistas apreciam os traços de Brasília

COMPARTILHAR


O fim de semana foi movimentado nos principais pontos turísticos da cidade


Há quem diga que Brasília é um museu a céu aberto. Durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™, os brasileiros ouvem isso todo tempo. Afinal, a cidade tem sido apreciada por quem passa. No fim de semana, pessoas de vários lugares do mundo e de outras cidades do país faziam filas para observar a beleza projetada por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Os ônibus de passeio e táxis disputavam os melhores espaços perto das calçadas dos pontos turísticos.

Camisa, bermuda, tênis e máquina fotográfica no pescoço caracterizavam o traje dos estrangeiros. A temperatura máxima, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) chegou a 24,3°, mas foi refrescada com muita água e picolé.

O equatoriano Danilo Castelo, 37, não estranhou o clima: “É como no Equador”. Ele chegou a Brasília no sábado (14), com um grupo de amigos, e seguirá para Curitiba e Rio de Janeiro. Segundo ele, “a cidade tem lugares e arquitetura espetaculares”.

Quem não assistiu a disputa entre Equador e Suíça, no Estádio Nacional Mané Garrincha, aproveitou o tempo livre para conhecer os arredores. É a primeira vez que a família equatoriana, que mora em Piracicaba/SP há três meses, vem a Brasília. “Gostamos da estrutura moderna dos edifícios, organização das ruas e da área das embaixadas”, disse a mãe Rocio Contero, 38.

O filho, Samay Cachipuendo, 12, achou os brasilienses receptivos. “São muito amáveis. Nos perguntam como estamos, aonde queremos ir. Estão muito preocupados conosco e com os outros turistas”, destacou.

Só no sábado (14) e no domingo (15), cerca de 6.500 pessoas passaram pelo Museu Nacional, localizado no Complexo Cultural da República João Herculino. O Panteão da Pátria contou com 600 visitas. Já no Museu da Cidade e no Espaço Cultural Lúcio Costa foram 100 e 800 pessoas, respectivamente. A Torre de TV recebeu mais de mil acessos.

O equatoriano Javier Navarro, 20, conheceu aqui muitos compatriotas. “Passeamos pelo Museu [Nacional], Igreja Dom Bosco e estádio. Temos nos encontrado por todos os lados”, disse Javier. O amigo que fez aqui, Pablo Ramires, 59, acrescentou: “Brasília é uma cidade muito bonita, com toda a sua imponência de parques e verdes, áreas imensamente grandes, edifícios muito bem estruturados. Tudo bonito, realmente. Digno de ser a capital do Brasil”.

Sob duas rodas

Três colombianos vieram de Bogotá de moto e enfrentaram sol e chuva. Eles se conheceram na estrada. O casal de namorados, Juan Gozalo, 32, e Carolina Cautañeda, 27, levaram 22 dias para chegar a Brasília. Já Edison Alba, 45, levou 14 dias para percorrer os 8.200 km. “Durante todo o caminho, tivemos que passar por momentos complexos, com condições climáticas difíceis”, falou Carolina.

O cansaço do trajeto é somado à adrenalina das montanhas e curvas. “É um risco que se corre para conhecer Brasília”, admitiu o arquiteto Edison. “É minha obrigação vir aqui, que é exemplo mundial toda a sua parte arquitetônica, urbanística e qualidade de vida”.