Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/10/19 às 17h37 - Atualizado em 3/10/19 às 17h56

Sinfônica apresenta música erudita contemporânea no Cine Brasília

COMPARTILHAR

Dez compositores internacionais mostram produção mais recente no campo, com entrada franca

 

Brasília terá a oportunidade de entrar em contato com a música clássica contemporânea no concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro da próxima terça-feira (8) no Cine Brasília. Dez compositores de várias partes do mundo estão no programa que é fruto de parceria da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e o “São Paulo Contemporary Composers Festival”.

 

“O mais importante deste concerto é mostrar ao nosso público o que se está produzindo atualmente no campo da música orquestral erudita, as novas linguagens e técnicas. Uma imperdível chance de conhecer um pouco da música produzida na contemporaneidade”, explica o maestro Cláudio Cohen, que fará a regência da apresentação. A seguir, um pouco de cada compositor no programa.

 

Compositores
O francês Christian-Frédéric Bloquert começou a tocar violão clássico aos 6 anos e a compor no início da adolescência. Desde então, recebeu várias distinções, sendo o mais recente o Prêmio John Bavicchi Memorial 2018 e 2019, por excelência em composição. Embora escreva principalmente para orquestra, é autor de várias peças de câmara para sopros, quarteto de cordas e balé.

 

Sobre “Polaire nº 1”, pode-se dizer que remete aos movimentos de silêncio e estrondo que se assiste no Ártico nos espetáculos de degelo, que irrompem na calma da vida que se move lentamente nos momentos de tranquilidade e graça. “Barulhos altos cortam o silêncio, e o gelo parece colapsar como se tivesse desistido de sustentar o próprio peso, atingindo a água com impacto feroz”, diz material sobre a divulgação do evento.

 

Sobre Randy Stagich, lê-se que é destaque em composição e indústria musical, tendo estudado na West Texas A&M University. Escreve principalmente música de câmara e começou a compor antes de se formar no ensino médio, misturando estilos contemporâneos com influências românticas. Piano e saxofone destacam-se em sua obra.

 

O chinês Liu Yizhang mistura tradições de seu país com o ocidente, onde faz mestrado em composição musical nos Estados Unidos. Sobre “A Short Piece for Orchestra”, o autor aposta na capacidade do público de interpretar sua proposta: “Acredito nisso, no poder da consciência humana. O elemento mais atraente da arte é sua incompreensibilidade e inconsistência. Nem tudo requer uma explicação”, filosofa.

 

Dai Haraguchi é um compositor e maestro japonês que transita em vários estilos musicais, incluindo música clássica ocidental, música comercial americana e música tradicional japonesa. Em suas obras, ele explora cenários e sentimentos sutis comumente vistos na literatura japonesa, como no haiku (forma curta de poesia japonesa, assimilada no Brasil como haikai), e os combina com a tradição ocidental.

 

Young Jun Lee é compositor, pianista, maestro e empresário. Tem se destacado em composição neste ano. Sua música foi estreada por músicos renomados, como William Lang, Jack Quartet e New Thread Saxophone Quartet (EUA), grupo PHACE (Áustria) e Irvine Arditti (Reino Unido). Além disso, co-escreveu o concerto para instrumentos eletrônicos para Suzanne Ciani com Richard Carrick. Colaborou com coreógrafos no Conservatório de Boston em Berklee for Burn-Project (Roaming).

 

As composições de Yimin Wu foram apresentadas em vários concertos recentes, incluindo o encontro de compositores da Fundação Robert H. N. em 2018/19, as conferências WOCMAT, a série de verão KC VITAs, a “International Computer Music Conference” e o “Asian Composers League Festival & Conference”. Sua música foi tocada pela Orquestra Filarmônica de Hong Kong, Orquestra Sinfônica de Toledo, New Music Ensemble de Hong Kong, Trio Zodiac, Kamerata Wind de Hong Kong, Quarteto Cong, entre outros.

 

O tom experimental do trabalho de David John Roche pode ser ilustrado pelas peças que compôs para aspiradores de pó e orquestra, shows épicos em planetários, órgãos de rua, bandas de rock, videogames, filmes, shows de teatro e, claro, orquestras internacionais. As composições da Roche foram transmitidas, televisionadas, escritas e tocadas internacionalmente para milhões de pessoas. Ele recebeu mais de 30 prêmios acadêmicos e profissionais.

 

Sua composição “Kaizo”, diz o material de divulgação, é uma música sobre obsessão e determinação. A palavra significa literalmente ‘reordenar’, ‘reestruturar’ ou ‘reconstruir’, e esses são conceitos que são fundamentais para a estrutura desta peça.

 

O coreano Jihwan Yoon está terminando seu bacharelado em música, mas jká alcançou inúmeras distinções artísticas. Nos Estados Unidos, suas peças já tiveram numerosas apresentações. Em 2017, ganhou prêmio no “International Antonin Dvorak Composition Competition”. Também ficou com o primeiro prêmio no “Golden Key”, também um certame de composição.

 

O material de divulgação afirma que Mark Lackey compõe músicas que são “dinâmicas, às vezes divertidas e dotadas de um lirismo clássico”. Como compositor de música vocal, eletrônica, de câmara, de orquestra e de sopro, ele conquistou atraiu a atenção de artistas talentosos.

 

A música “Reef”, no programa, é uma meditação sobre a beleza, o poder e a fragilidade de majestosos ecossistemas submarinos. De pronunciamentos imponentes a comentários caprichosos, dos ritmos assimétricos do rock progressivo às linhas líricas dos sopros de madeira (um aceno para Ravel?), “Reef” inspira-se no mistério dos oceanos.

 

O compositor José Eduardo Lopez Hernandez é um compositor mexicano nascido em Houston, focado em elevar a narrativa pessoal e cultural através de seu trabalho. É destaque em conjuntos e organizações ilustres, como “Apollo Chamber Players”, “Foundation for Modern Music”, “Exalted Arts” e em uma ampla variedade de filmes, nos Estados Unidos, México e Europa. Atualmente, está cursando graduação em composição musical.

 

Serviço

Concerto de Música Contemporânea

Programa
Dai Haraguchi – “Little Suíte” (5 min)
Yimin Wu – “Faucet” (6-7 min)
José Eduardo Lopez Hernandez – “Xul” (7 min)
Young Jun Lee – “Geworfenheit” (6 min)
Jihwan Yoon – Symphony (2º movimento) (7 min)
Mark Lackey – “Reef” (7 min)
David Roche – “Kaizo” (5 min)
Randy Stagich – “As the golden hour passes” (5 min)
Christian-Frederic Bloquert – Polaire nº 1 (8 min)
Liu Yizhang – “A Short Piece for Orchestra” (7 min)

Principe Igor de Alexander Borodin – “Danças Polovitzianas” (12 min)

Regência: Maestro Cláudio Cohen

 

Data, local e hora
8 de outubro
Cine Brasília, Entrequadra Sul 106/107
Entrada franca por ordem de chegada até a lotação do espaço. Os portões são abertos às 19:15 para idosos e pessoas com deficiência e às 19:30 para o público em geral. O concerto começa às 20h.
Dúvidas e informações: 2017-4030