Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/08/17 às 13h02 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Seminário fortalece política para o Carnaval

COMPARTILHAR

Evento reúne especialistas de todo o país para amplo debate sobre gestão, sustentabilidade e conceito da folia

A Secretaria de Cultura tem capitaneado um esforço de governo para construir um Carnaval de Brasília cada vez mais democrático e sustentável. Para avançar ainda mais no aperfeiçoamento de uma política pública para a folia do Distrito Federal, a pasta promove, juntamente com a Secretaria Adjunta de Turismo, o Seminário do Carnaval de Brasília, nos dias 24 e 25 de agosto, no Clube do Choro. A entrada é franca e para participar basta se inscrever aqui.

Serão dois dias de discussões com gestores públicos, pesquisadores e demais especialistas no tema de várias regiões do país, envolvendo ainda representantes de blocos de rua e das escolas de samba. Um dos objetivos do seminário será de trazer experiências de outras festas ao redor do Brasil e de realizar um balanço do Carnaval de 2017, como forma de reflexão para o aperfeiçoamento das políticas para este próximo ano.

“O Carnaval de Brasília já se tornou uma tradição da cidade e tem mostrado a vocação de Brasília para esta que é a maior festa popular brasileira”, avalia o secretário de Cultura, Guilherme Reis. Em 2017, foram 1,5 milhão de foliões das ruas brincando em 118 blocos. “Agora é hora de consolidar o Carnaval como política pública, para garantirmos mais condições de crescimento e sustentabilidade para esta manifestação cultural”, diz.

De acordo com o secretário, as ações desenvolvidas durante o Carnaval do ano passado são resultado de constante diálogo do Governo de Brasília com os blocos e a comunidade. Para 2018, a Secretaria de Cultura tem desenvolvido trabalhos normativos, estudado novos mecanismos de apoio financeiro ao setor. “Chegamos a uma série de medidas para garantir um Carnaval público, livre, alegre, democrático e organizado. Mas há muito trabalho a ser feito. E este seminário será um momento muito importante para construir ações estruturantes”, pondera.

O Carnaval de Brasília exige uma forte política cultural que demanda envolvimento de todas as esferas do poder público: da segurança pública, mobilidade urbana, turismo, comunicação, saúde, limpeza urbana, meio ambiente etc. O Seminário do Carnaval de Brasília vai discutir temas relacionados a todas essas áreas e sua aplicação nos eventos carnavalescos.

Serviço

Seminário do Carnaval de Brasília

Quando: 24 e 25 de agosto, das 9h às 18h

Onde: Clube do Choro de Brasília

Entrada franca mediante inscrição antecipada neste link

PROGRAMAÇÃO

Dia 24, quinta-feira

9h – Credenciamento

9h30 – Abertura oficial – Mesa institucional

• Governador Rodrigo Rollemberg

• Secretário de Cultura Guilherme Reis

• Secretário de Turismo Jaime Recena

• Demais secretários e autoridades

10h – Mesa 1 – Abertura: “A dimensão cultural do Carnaval: história, expressões, liberdade e direito”

• Juca Ferreira, sociólogo, ex-ministro da Cultura do Brasil e atual secretário de Cultura de Belo Horizonte

• Rosa Maria Araújo, historiadora, presidente do MIS-RJ

• Moacyr de Oliveira, presidente da escola de samba Aruc-DF

12h – Almoço (livre)

13:30h – Mesa 2: “O Carnaval planejado: regulação urbana, serviços e segurança pública”

• Eliana Dumet, diretora de Captação e Promoção de Eventos da Empresa de Turismo de Salvador – Saltur-MG

• José Mauro Gnaspini, ex gestor cultural da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, realizador da Virada Cultural-SP

• Rita Fernandes, membro da Associação Independente dos Blocos de Rua do Rio-RJ

• Aluizer Malab, presidente da Empresa de Turismo de Belo Horizonte BeloTur-MG

• Luciene Velez (Nina), integrante do bloco Menino de Ceilândia – DF

15:30h – Intervalo e café

16h – Roda de diálogo: “Balanço e avaliação do Carnaval de Brasília 2017”

• Secretários de Cultura, Turismo e outros representantes da Comissão Permanente do Carnaval de Brasília

• Representantes dos blocos, escolas de samba e moradores

• Abertura para debate

25/08, sexta-feira

9h30- Mesa 3: “Carnaval e Cidades: modelos e políticas públicas no panorama brasileiro”

• Nabil Bonduki, arquiteto e urbanista, ex-secretário municipal de Cultura de São Paulo-SP

• Merina Aragão, gerente de Carnaval de Salvador-BA

• Guto Borges, historiador e músico de Belo Horizonte-MG

• Pepe Jordão, assessor da presidência da Fundarpe na área de carnaval e projetos culturais-PE

• Pablo Feitosa, integrante do bloco Suvaco da Asa-DF

12h – Almoço (livre)

13:30h – Mesa 4: “Economia e sustentabilidade do Carnaval”

• Luís Carlos Prestes Filho, pesquisador em economia do Carnaval – RJ

• Messias Bandeira, diretor do IHAC e coordenador do Observatório Estadual de Economia Criativa da UFBA-BA

• Karen Cunha, gestora e produtora cultural, ex-diretora de Eventos da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo-SP

• Felipe Ferreira, coordenador do Observatório do Carnaval da UERJ-RJ

• Thiago Pezão, Integrante do bloco BabyDoll de Nylon-DF

15:30h – Intervalo e café

16h -“Apresentação das diretrizes gerais para o Carnaval de Brasília 2018”

• Secretário de Cultura Guilherme Reis e equipe

• Abertura para o debate

18h – Encerramento oficial