Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/04/14 às 17h21 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Cultura e Segurança fazem balanço positivo do feriado

COMPARTILHAR


Foram registrados cinco homicídios a menos que no ano passado




BRASÍLIA (23/4/14) – Os quatro dias de feriado prolongado no Distrito Federal superaram as expectativas no que diz respeito às ações de segurança. Em balanço divulgado nesta quarta-feira (23), entre os dias 18 e 20 de abril, foram registrados seis homicídios, cinco a menos que no ano passado, e, no dia 21, data do aniversário de Brasília, não foi houve nenhuma ocorrência dessa natureza, apenas furtos, roubos e uso e porte de drogas.

 

“O balanço que fazemos é bem positivo nos quatro dias de feriado. Foram 116 eventos cadastrados, um público de mais de 600 mil pessoas, mais de cinco mil homens e mulheres da Segurança Pública trabalhando. O número de registros foi bem baixo, e a produção policial bem alta. A cada ocorrência que temos no DF é mais um motivo para a preparação para os grandes eventos”, avaliou o secretário de Segurança em exercício, Paulo Roberto Batista Oliveira.

 

Além das encenações das vias-sacras, características da Semana Santa, e dos eventos que comemoraram o aniversário de Brasília, a capital também foi palco, nesse período, de dois jogos no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e da II Bienal Brasil do Livro e da Leitura. “Tivemos zero registro nesses dois eventos, que atraíram ainda mais público para as ruas de Brasília. Esse é o resultado da integração das forças de Segurança”, afirmou Oliveira.


No feriado, outro fato que mereceu destaque de acordo com o secretário de Segurança, foi o transporte público. “O metrô rodou até quase duas horas da manhã, funcionou por um tempo maior que na virada do ano, facilitando o escoamento. Nesse sentido, o transporte de uma maneira geral conseguiu dar fluxo na cidade, facilitando o trabalho da Segurança Pública”, relatou.

 

Em relação ao trânsito, 4.416 veículos foram abordados no período em questão. De acordo com o levantamento, foram registrados 1.905 autuações, 23 condutores foram flagrados pela Lei Seca, dois conduzidos à delegacia, 11 veículos removidos aos depósitos e seis motoristas estavam sem a habilitação. “Foram registrados seis mortes no trânsito, mas todas foram na zona rural”, explicou o chefe de Planejamento de Operação do Detran-DF, Glauber Peixoto.

 

No Morro da Capelinha, um dos maiores eventos durante a Semana Santa, trabalhou um efetivo de mil policiais militares, 285 bombeiros e 60 agentes do Detran. No aniversário da cidade, trabalharam 2,7 mil policiais militares, 100 policiais civis, 399 bombeiros e 118 agentes de trânsito. Nos dois eventos foram registradas apenas ocorrências de roubo, furto e uso e porte de drogas, além de uma lesão corporal no dia 21 de abril.

 

CULTURA – Durante a divulgação do balanço, o secretário de Cultura, Hamilton Pereira, fez questão de apresentar alguns números relacionados à II Bienal Brasil do Livro e da Leitura. De acordo com ele, visitaram o local cerca de 300 mil pessoas durante os dez dias de evento, uma média de 30 mil por dia. “Nossa expectativa era de um público de 20 mil pessoas diárias. Esse número mostra que consolidamos a bienal aqui na capital”, afirmou.

 

No período, houve uma movimentação financeira de R$ 8 milhões, com a venda de 445 mil livros, número que equivale a todo o acervo da biblioteca da Universidade de Brasília (UnB). Foram expostos na bienal 85 mil títulos com a presença de 400 editoras. De acordo com o secretário, as bibliotecas das escolas públicas do DF receberam um investimento de R$ 4 milhões para a aquisição de obras literárias.