Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/04/13 às 18h47 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Secretário de Cultura participa de debate sobre filme que narra o Golpe de 64 no Brasil

COMPARTILHAR

A sala no Cine Cultura do Liberty Mall ficou lotada para a exibição do documentário brasileiro O dia que durou 21 anos, dirigido por Camilo Tavares, que mostra, com documentos secretos e gravações originais da época, como os presidentes norte-americanos John F. Kennedy e Lyndon Johnson se organizaram para tirar o presidente João Goulart do poder e apoiar o golpe de 1964.

Na plateia, além de um público variado, com destaque para os jovens, estavam o secretário de cultura, Hamilton Pereira; a deputada distrital Arlete Sampaio; e o ex-presidente do BRB, Jacques Pena. Três personagens que viveram aquele período conturbado da história do país.

Após a exibição do documentário, os espectadores participaram de um debate. Para o secretário de cultura, Hamilton Pereira, “o primeiro de abril de 1964 é um momento de ruptura do estado de direito estabelecido a partir da constituição de 46.”

Segundo ele, este é o fato fundador da ditadura. “Ele rompe com o estado de direito no Brasil com o auxílio de uma força estrangeira, no caso os Estados Unidos, que apoia uma articulação civil e militar de natureza conservadora. Isso é fundamental como ponto de partida pra gente entender o espírito desse documentário e trazer de volta aquilo que é necessário que a gente incorpore como reflexão a respeito da história do Brasil do período. O documentário O dia que durou 21 anos tem esse componente que é indispensável como contribuição pra essa discussão.”

O ex-presidente do BRB, Jacques Penas, disse que viveu a fase final da ditadura militar de uma forma muito forte como militante. Para ele, um filme que resgata essa parte da história do Brasil é “importante porque, como nós estamos com 28 anos de regime democrático, ainda que com as imperfeições da nossa sociedade, as pessoas e principalmente as gerações mais jovens perderam a memória, porque também não viveram, do que foi o golpe, do que foi a restrição da liberdade democrática e o que foi a luta política para reconquistar essa liberdade democrática. Então, além do filme, o debate também é importante para as pessoas refletirem a partir do conteúdo do filme, das informações, das análises.”

O documentário O dia que durou 21 anos agradou a crítica especializada nos Estados Unidos. Revistas como Hollywood Reporter e Variety elogiaram a produção.