Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/05/14 às 17h40 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Secretaria divulga homenageados e novidades do Festival de Cinema

COMPARTILHAR


Vida e obra de Eduardo Coutinho são destaques desta edição



O 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – que será realizado entre os dias 16 e 23 de setembro – traz novidades aos cinéfilos da capital neste ano. Os detalhes do maior evento de cinema da capital federal foram explicados pela Secretaria de Cultura, na manhã desta quinta-feira (29), em coletiva de imprensa no Cine Brasília.

Na ocasião, o secretário da pasta, Hamilton Pereira, falou sobre os homenageados deste ano: o documentarista Eduardo Coutinho e o filme ‘Deus e o diabo na terra do sol’ de Glauber Rocha. “O filme de Glauber é um símbolo que ensina a entender o Brasil. É o país das oligarquias que ele já denunciava há 50 anos”, destacou.

Considerado um dos principais nomes do cinema brasileiro, Coutinho foi assassinado aos 80 anos em fevereiro deste ano. Entre as suas principais produções, está o documentário ‘Cabra marcado para morrer’, que fala sobre a vida e o assassinato de um líder camponês. O trabalho foi interrompido pelos militares em 1964, sendo retomado após17 anos.

O período ditatorial também será um dos temas presentes em toda a programação. “Assim como fizemos na Bienal, faremos do Festival de Cinema um momento para se debruçar sobre o golpe de 64”, informou Hamilton. A II Bienal do Livro e da Leitura – que aconteceu entre os dias 11 a 21 de abril – trouxe uma programação intensa sobre a ditadura militar, com seminários, debates, exposições e mostras de filmes.

O secretário-adjunto da Cultura e coordenador geral do Festival, Miguel Ribeiro, apontou as diretrizes do evento. “Estamos ouvindo todos os envolvidos e faremos o possível para incorporar as sugestões. Vamos manter a descentralização, levar o ambiente do Festival para as cidades, para as universidades e praças”, disse. Este ano, o evento acontecerá no Cine Brasília e em mais cinco cidades do DF.

A coordenadora adjunta do Festival, Sara Rocha, explicou as principais mudanças desta 47ª edição. “Não haverá mais divisão dos filmes por gênero, todos os enredos competem entre si. O prêmio de júri popular também teve o seu valor elevado. Serão R$ 50 mil para o longa premiado e R$ 25 mil para o curta”, informou. “Estamos trabalhando para atender demandas e críticas que chegaram até nós”, disse.

As inscrições para as mostras competitivas do festival já estão abertas e seguem até o dia 10 de julho. Serão distribuídos R$ 625 mil em prêmios, sendo o principal de R$ 250 mil para o vencedor de melhor longa na mostra competitiva.