Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/04/18 às 19h13 - Atualizado em 9/04/18 às 15h19

Secretaria de Cultura ouve demandas da Música em Brasília

COMPARTILHAR

Atividade subsidiará a construção de política pública para a área

 

Nesta quinta-feira (05) artistas, produtores e demais envolvidos na área da Música se reuniram na sede do Território Criativo, na Biblioteca Nacional de Brasília, para contribuir com o desenvolvimento de um diagnóstico e subsidiar a formulação de políticas para este segmento. A atividade faz parte da parceria que a Secretaria de Cultura firmou com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), por meio de Projeto de Cooperação, para o levantamento de informações e fomento às cadeias produtivas do Distrito Federal.

 

O Projeto prevê a contratação de consultores especialistas em suas respectivas áreas, que vão gerar subsídios para a qualificação e consolidação das políticas públicas de cultura no Distrito Federal. Estas consultorias contribuirão para a formulação de políticas para os diferentes setores. Mariana Soares, subsecretária de Políticas de Desenvolvimento e Promoção Cultural, lembra que a Dança passou por um processo parecido, com uma série de conversas, consultas e grupos de trabalho que culminaram na Política de Estímulo e Valorização da Dança, portaria publicada em agosto de 2017.

 

“A ideia é ouvir de perto o setor produtivo da música. Esta consulta subsidiará uma política de valorização da música no DF. A proposta é estabelecer algumas diretrizes amplas, pactuadas com a sociedade civil, que o Estado utilizará para desenvolver programas e projetos relacionados àquela área temática”, explicou. “Os diálogos com a sociedade civil nos dão um panorama de uma política setorial das artes no Distrito Federal. Fizemos com a dança, agora com a música e vamos fazer com o audiovisual também, ainda este ano.”

 

Daniela Ribas, consultora contratada para realizar um diagnóstico do setor socioprodutivo da Música, coordenou a atividade, que teve como metodologia o Diagnóstico Rápido Participativo – uma forma simples de sistematização e priorização de demandas. Divididos em grupos de trabalho, músicos, artistas e produtores elencaram os principais desafios que encontram. Além dos apontamentos surgidos na discussão, a consultoria colherá dados também em pesquisas locais e nacionais, a fim de identificar desafios estruturais.

“O fato de ter a contratação de consultorias especializadas indica a preocupação da Secretaria em desenvolver políticas que sejam atualizadas em relação ao que vive o universo cultural, quais os instrumentos ideais para esse contexto de hoje, mediado pelas tecnologias. Então a própria existência dessa consultoria mostra que é uma preocupação forte em desenvolver as políticas já existentes e criar eventualmente mecanismos novos e atualizados”, afirmou Ribas, que é doutora em Sociologia e diretora da Somar Cultural, consultoria e pesquisa em gestão cultural.

 

O músico RC Ballerini participou de todo o processo e contribuiu com sua experiência também como produtor cultural. “Eu acho que o mais interessante é compreender como cada agente está entrando neste processo e perceber que podemos nos articular e pensar coletivamente. Gerar demandas, possibilidades de mudança mesmo”, declarou.