Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/10/12 às 11h11 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Secretaria de Cultura apresenta primeiros projetos aprovados no FAC

COMPARTILHAR

 Em entrevista coletiva na tarde de quinta-feira (25/10), o secretário de Cultura, Hamilton Pereira, e o subsecretário de Fomento, Leonardo Hernandes, apresentaram os 128 projetos selecionados no primeiro bloco de editais do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal.

Do total de R$ 12,66 milhões distribuídos, 25% serão direcionados a atividades relacionadas a ensino e formação de plateia. E, embora Brasília ainda receba a maior parte dos recursos do FAC, cidades como Ceilândia, Planaltina, Taguatinga e o Varjão estão cada vez mais presentes.

Entre os destaques estão apresentações teatrais educativas na Praça dos Três Poderes e no Museu do Catetinho (Gama);

A “Temporada de Sol”, que promoverá shows musicais nos parques de Samambaia, Paranoá, Guará e Águas Claras;

O “Cultura nos Trilhos” terá teatro de rua nas praças das estações do metrô; o Museu Sonoro vai levar música de câmara a essas instituições.

Já o “Eixão Cultural” consistirá em eventos artísticos aos domingos na via fechada para lazer, enquanto o “Biblioteca Viva” contará com atividades de incentivo à leitura nas bibliotecas públicas.

Além das novidades, o viés chamado “Calendário Consolidado”, que abrange festivais e mostras já conhecidos em Brasília, contemplou eventos já conhecidos do brasiliense: o “Cena Contemporânea”, de teatro, e o “Ferrock Festival”, realizado em Ceilândia, obtiveram R$ 500 mil, cada, para a realização de seus projetos – o maior valor individual disponibilizado pelo Fundo.

Manifestação cultural tradicional do DF, o Bumba Meu Boi de Seu Teodoro Freire receberá R$ 150 mil para que seja inventariado como bem imaterial.

Segundo o secretário de Cultura, Hamilton Pereira, “fazer a distribuição dos recursos por edital foi a maneira que encontramos para descentralizar investimentos, democratizar o acesso a recursos públicos e promover o respeito à diversidade cultural. Gera transparência na relação entre Estado e sociedade.”

Leonardo Hernandes disse que o maior mérito da atual gestão do FAC é mapear a Cultura do DF.

“Hoje temos dados para mostrar e percebemos que música, teatro e cinema são os movimentos culturais mais intensos em Brasília”, disse o subsecretário de fomento da Secretaria de Cultura do DF.

Com foco na formação de plateia, o edital contemplou 38 projetos voltados para escolas e que associam arte e responsabilidade social e 13 novos espetáculos para a infância e juventude.

Ao todo, 617 projetos foram inscritos e 128 selecionados, dentre 168 vagas disponíveis.

Somente na primeira etapa da seleção de projetos, mais da metade dos proponentes foram eliminados por erros de preenchimento ou falta de documentação.

“No segundo bloco de editais, em fase de análise, felizmente estamos percebendo uma diminuição desses erros”, declarou Hernandes.

Os recursos não distribuídos do FAC 2012 voltarão para o Fundo e a previsão, para 2013, é que os produtores culturais de Brasília vão contar com mais de R$ 50 milhões para a realização de projetos.