Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/02/20 às 18h19 - Atualizado em 14/02/20 às 18h21

Secec entra na força tarefa para construir percurso histórico, cultural e turístico na Vila Planalto

COMPARTILHAR

Autoridades foram hoje ao local e percorreram parte do trajeto de dois quilômetros

 

A Vila Planalto vai passar por um processo de requalificação urbana com a construção de um percurso pelos principais pontos de interesse histórico, cultural e turístico da comunidade. Um projeto de 2012 está sendo adequado com requisitos de acessibilidade, visando a complementar as intervenções de drenagem, trânsito de veículos e pedestres, iluminação pública e sinalização com informações históricas.

 

“A ideia é que boa parte das obras esteja pronta até 21 de abril, a tempo das comemorações dos 60 anos de Brasília”, avisa o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues. “Morro de inveja de quem mora aqui, onde crianças ainda brincam na rua”, disse durante visita ao local nesta sexta-feira (14).

 

Rodrigues percorreu parte do percurso turístico e cultural de dois quilômetros, dentro da Vila, acompanhado de colegas das pastas de Cidades, Fernando Leite, de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Leandro de Oliveira, da Novacap, Cândido Teles de Araújo e da Região Administrativa I, Ilka Teodoro.

 

“É um projeto aprovado, sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, que nunca havia saído do papel, e que agora entra em ação para o aniversário dos 60 de Brasília”, explica o titular da pasta, Mateus de Oliveira.

 

O projeto original, orçado em R$ 5 milhões, visa recuperar a identidade da Vila Planalto como parte da memória do período de construção da capital a partir de acampamentos de construtoras instalados a partir de 1957 entre os pontos onde hoje estão os Palácios da Alvorada e do Planalto.

 

A arquiteta que assina o projeto, Anamaria de Aragão, coordenadora de Projetos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, ressalta a vocação da Vila Planalto como um polo gastronômico que atrai turistas, moradores de capital e servidores da Esplanada dos Ministérios. “Queremos acrescentar um dia na visitação obrigatória dos turistas em sua estada na capital”, disse.

 

A Vila Planalto é tombada e agrupa cerca de mil lotes remanescentes de seis acampamentos da época da construção da cidade: Rabelo, Pacheco Fernandes, DFL, Tamboril, Emulpress, EBE e Acampamento da Nacional. Os trabalhadores pioneiros construíram, além dos Palácios, o conjunto arquitetônico do Centro Cultural Três Poderes, a Esplanada dos Ministérios e o Brasília Palace Hotel.

 

Os operários e suas famílias chegaram a ocupar 22 acampamentos, numa área muito superior à atualmente ocupada pela Vila Planalto, estendendo-se aos setores de Embaixadas e Clubes Norte, incluindo o Palácio da Alvorada. Parte dessas construções originais foi coberta pelas águas do Lago Paranoá.