Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/11/19 às 18h41 - Atualizado em 29/11/19 às 9h22

São Sebastião recebe ação formativa durante o 52° FBCB

COMPARTILHAR

Estudantes de cinema aprenderam técnicas de fotografia e iluminação realizadas com materiais alternativos

 

 

Dando continuidade ao projeto de descentralização do 52° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, a população de São Sebastião recebeu, nesta quinta-feira (28) a Oficina de Fotografia e Iluminação com Materiais Alternativos, ministrada por Ricardo Pinelli e André Lavenère.

 

A inscrição custou R$ 20 a cada aluno de cinema interessado por novas técnicas audiovisuais. Os professores também deram dicas sobre os principais instrumentos utilizados, composição fotográfica e como utilizar esse conhecimento em função do tempo e da dramaturgia em audiovisual.

 

Flávia Santos, 20 anos, enalteceu a programação do Festival, o qual frequenta há dois anos. “A oficina de fotografia e iluminação, especificamente, está sendo maravilhosa, muito produtiva e agregadora para os conhecimentos que eu almejo”, elogiou.

 

Matheus Oliveira, aluno do Centro Universitário Iesb, ressalta a oportunidade de estar em contato com pessoas envolvidas na produção cinematográfica. “Os monitores são pessoas que estão no mercado, são entendedores do assunto, superacolhedores e acessíveis”, destacou.

 

Para Edvan Andrade, 30 anos, o Festival é muito importante por trazer filmes que fogem ao cinema tradicional. “Querendo ou não, o cinema que vemos por aí é muito comercial, preocupado mais com a arrecadação do que com o conteúdo. E as oficinas também são importantes porque ajudam as pessoas interessadas nesse novo cinema, que não é o de super-heróis, de comédia, que estamos acostumados.”

 

Os monitores aprovaram a iniciativa de levar ações formativas às regiões administrativas. André Lavenère explica que a ideia da oficina era apresentar alternativas viáveis a pessoas que querem produzir material audiovisual, mas não possuem tantos recursos. Ricardo Pinelli destaca que um dos objetivos era mostrar aos alunos como resolver problemas do dia a dia. “Temos muitos anos de trabalho no mercado. Viemos aqui para passar nossa experiência mesmo”, completa.

 

 

Fotos: Ludimila Barbosa SECEC/DF