Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/06/17 às 19h27 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Resultado do chamamento para a Casa do Cantador

COMPARTILHAR

São 50 atrações de repente e forró que vão compor a programação do ano

A programação da Casa do Cantador será ainda mais robusta neste ano. Para compor a série de shows da Sexta do Repente e do Sabadão do Forró no espaço cultural de Ceilândia, a Secretaria de Cultura selecionou, via chamamento público, oito duplas de repentistas e 50 trios de forró pé-de-serra do Distrito Federal e entorno.

Confira o resultado preliminar aqui. O prazo para interpelação de recursos vai até o dia 22 de junho.

O objetivo do chamamento de artistas é fortalecer a identidade da Casa do Cantador como um espaço dedicado à cultura popular e, ao mesmo tempo, fazer circular os talentos do Distrito Federal a partir de uma seleção democrática. Serão realizadas neste ano, ao todo, dez edições da Sexta do Repente, com duas duplas em cada edição, e quinze shows do Sabadão do Forró, com três a quatro trios em cada dia de atividade. Os dias e horários das apresentações ainda serão definidas.

O chamamento público para ocupação da Casa do Cantador integra as políticas da Secretaria de Cultura voltadas para ampliar a circulação e distribuição de agentes, bens e serviços culturais e criativos, dentre outras diretrizes, como criação de plataformas virtuais para a promoção da cultura e capacitação para o empreendedorismo, intensificando a economia criativa em todo o território do DF e entorno.

A Secretaria de Cultura investe R$ 560 mil na contratação artística para a programação dos dois projetos da Casa do Cantador, sendo R$ 8 mil para cada dupla de repente ou trio de pé-de-serra.

Seleção pública e democrática

Esta é o segundo edital para contratações voltados para a programação da Sexta do Repente e Sabadão do Forró. Em 2016, houve seleção pública de artistas para ocupação de setembro a dezembro, quando se apresentaram sete duplas de repente e 30 trios de forró.

O modelo de seleção tem sido o principal recurso utilizado pela Secretaria de Cultura para realizar seus eventos de forma mais democrática e transparente, a exemplo do que foi feto com o Brasília Junina, Aniversário de Brasília, Réveillon, Carnaval, Circuito do Circo, dentre outros.

Em abril, a Secretaria de Cultura também divulgou o resultado da seleção de projetos para ocupação da Casa do Cantador via Fundo de Apoio à Cultura (FAC). Ao todo ao todo foram R$ 200 mil quatro projetos. Ainda para a Casa do Cantador estão previstos ao menos mais dois editais para artistas até o final do ano.