Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/04/17 às 13h52 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Reforma do MAB começa ainda neste semestre

COMPARTILHAR

Licitação para início das obras é publicada no DODF

Após dez anos do seu fechamento, o Museu de Arte de Brasília (MAB), da Secretaria de Cultura, ganha um projeto que irá recuperar integralmente este fundamental espaço para as artes visuais no Distrito Federal. O novo projeto, desenvolvido pela Novacap, teve sua licitação para início das obras publicada nesta quinta (20), no Diário Oficial do DF, com valor estimado em R$ 8.869.325,08, a serem investidos pela Terracap.

A reforma do MAB chegou a ser iniciada em setembro de 2013 e logo interrompida. “Quando chegamos aqui, percebemos que o espaço precisava de uma requalificação, de uma obra que de fato devolvesse a Brasília e ao Brasil um lugar significativo para a fruição da cultura. Afinal, estamos falando de um museu de acervo riquíssimo, um dos mais importantes para a arte modernista brasileira”, destaca o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

A expectativa para a entrega da obra é de um ano, a contar da finalização do processo licitatório para contratação de empresa. A reforma inclui a total recuperação predial, paisagismo, iluminação projetada para atender diferentes formas de acervo, acessibilidade universal, moderno sistema de proteção e combate ao incêndio, conforto térmico e conservação, com climatização controlada 24 horas nas áreas de acervo técnico e exposição; e geração de energia elétrica através de placas fotovoltaicas instaladas na cobertura do museu.

Histórico

Construído em 1960 pelas Forças Armadas, o edifício que ocupa área de 4,8 mil metros quadrados foi reconhecido como Museu de Arte de Brasília em 1985, por iniciativa da antiga Secretaria de Educação e Cultura. Em 1992, uma vistoria da Terracap apontou que o local não apresentava condições para exercer atividades museológicas. Em 2007, foi fechado por determinação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios.

O acervo é formado por obras de arte moderna e contemporânea de 1950 a 2001, caracterizadas pela diversidade de técnicas e materiais, com pinturas, gravuras, desenhos, fotografias, esculturas, objetos e instalações.