Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/02/14 às 17h03 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Projeto Mapa Gentil propõe oficinas em diversas áreas artísticas

COMPARTILHAR


Com apoio do FAC, projeto levará arte para o Metrô

A partir do mês de junho, os espaços do Metrô de Brasília sofrerão intervenções urbanas como parte do projeto Mapa Gentil. Antes, porém, os realizadores promoverão oficinas criativas para os inscritos. O projeto, que tem apoio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), oferecerá oficinas de ilustrações, animação e pintura.

O Mapa Gentil é um projeto pedagógico e cultural que é realizado desde 2012, com o apoio de escolas e comunidades. O objetivo é realizar uma série de intervenções urbanas, inserindo a arte no cotidiano e dando outros significados para espaços públicos.

Além de disseminar a gentileza, o projeto trabalha a autoestima das comunidades, mostrando sutilezas que acabam se perdendo em meio ao frenético ritmo do dia a dia. A inspiração do projeto surgiu na frase “Gentiliza gera gentileza”, de José Datrino mais conhecido como o profeta Gentileza.

Segunda a diretora do projeto Janaína André a escolha do Metrô como local das instalações foi para chamar atenção sobre a mobilidade urbana, o ir e o vir. “Queremos que as pessoas conheçam outros locais, que haja uma interligação entre as cidades do DF. Uma provocação de deslocamento” completa Janaína.

Oficinas

A primeira oficina, que começou em fevereiro, foi desenvolvida para o projeto pelo artista Pedro Sangeon, que compartilha suas experiências obtidas com a tirinha Gurulino. Ele também ajudará no processo de criação das intervenções.

Outras oficinas também serão oferecidas. Em março, serão realizadas oficinas de ilustração com Renato Moll e de animação com Raquel Piantino, Em abril, pintura será o tema, com Tiffany Gyatso no comando.

Após a conclusão das oficinas, as instalações começarão a serem montadas nos trens e estações do Metrô. A partir de junho, o público poderá conferir diariamente as obras produzidas pela própria comunidade. Com a ajuda de um aplicativo, o público poderá acompanhar as intervenções.

O Profeta

Nascido no interior de São Paulo, José Datrino teve uma infância marcada pelo trabalho ao lado de seus dez irmãos. Apesar das dificuldades, Datrino conseguiu se estabelecer como um empresário do ramo de transportes no Rio de Janeiro.

No início dos anos 60, após um incêndio em Niterói que vitimou cerca de 500 pessoas, largou tudo para pregar o amor e a gentileza entre as pessoas. No local. José plantou hortas e jardins e logo, se mudou para lá.

Sua obra mais famosa está localizada próxima à Rodoviária Novo Rio, nos pilares do viaduto do Caju. São 56 pilastras que exibem, em verde e amarelo, mensagens que criticam o modo de vida atual, apontando alternativas pautadas no amor e gentileza social.

Devido ao desgaste, as obras foram cobertas com tinta cinza em 1997, despertando uma indignação na população carioca. Em 2000, um projeto de revitalização devolveu os murais do Profeta à cidade, que podem ser vistos até os dias de hoje.

O Profeta Gentileza morreu em 1996, aos 79 anos. Porém, até os dias atuais é uma forte inspiração para músicos, educadores, cineastas e aquelas que acreditam em um mundo mais gentil

Confira o site do projeto.