Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/08/13 às 19h53 - Atualizado em 13/11/18 às 14h39

Programa de reconstrução do Patrimônio Cultural do Distrito Federal revitaliza Polo de Cinema Grande Otelo

COMPARTILHAR

Obra de recuperação da estrutura custou R$ 180 mil e servirá para estimular a produção audiovisual brasiliense

Famoso por ter sido palco de mais de 80 produções cinematográficas no DF, o Polo de Cinema de Brasília, em Sobradinho, foi visitado hoje pelo governador Agnelo Queiroz e, após 12 anos, vai reabrir as portas para as filmagens de O Outro Lado do Paraíso, maior produção realizada no DF.

“Seguramente esta reabertura faz parte de uma política que vai fortalecer a produção no DF. Essa é uma vocação da nossa cidade que temos que manter em pleno funcionamento”, destacou o governador.

Já foram entregues para a sociedade o Museu do Catetinho, o Panteão da Pátria, e agora o Polo de Cinema Grande Otelo, em Sobradinho. O Cine Brasília estará pronto para abrigar a 46º edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro que começa no dia 17 de setembro. Também serão entregues ainda nos próximos meses, a Igreja de São Sebastião, em Planaltina, a Igreja de São José do Operário, na Candangolândia, e a Igreja São Geraldo, no Paranoá.

“Depois de uma década sem uma utilização sistemática o Polo de Cinema voltará às suas atividades. É fundamental para o Governo Agnelo Queiroz recuperar este espaço valiosíssimo que ganha cada dia maior relevância na economia da cultura do Distrito Federal que representa uma expressão simbólica do que se faz, se constrói e do que se sonha em Brasília que é o Polo de Cinema”, destacou o secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira.

Também já nos próximos meses iniciam-se as obras de restauro da Casa do Cantador, na Ceilândia, do Museu Histórico e Artístico de Planaltina, da Concha Acústica, do Espaço Cultural Renato Russo, do Memorial dos Povos Indígenas e do Museu Vivo da Memória Candanga. Além do Museu de Arte de Brasília (MAB) que aguarda pelo processo de licitação.

O Polo de Cinema e Vídeo Grande Otelo foi criado em 1991 em uma área de 400 hectares – equivalente a 400 campos de futebol – e foi cenário para atores e diretores brasilienses, estreantes e consagrados, além de artistas de várias partes do país. O espaço foi dedicado à Grande Otelo, uma homenagem feita ao ator durante o 26º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 1993.