Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/01/12 às 15h41 - Atualizado em 13/11/18 às 14h36

Paulinho da Viola abre 1º Festiarte

COMPARTILHAR

 

Imprimir

 

Foi com uma versão de Cartola que Paulinho da Viola começou sua apresentação na abertura do 1º Festival Internacional de Artes de Brasília (Festiarte), na noite desta quarta-feira (5), na sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro. A casa estava lotada. Das 1,5 mil entradas disponíveis, 1,1 mil foram distribuídas gratuitamente aos fãs. O festival é realizado pelo Governo do Distrito Federal, por meio das secretarias de Cultura e de Educação.
 
No repertório, um desfile pelos clássicos da turnê Acústico MTV, como Foi um Rio que Passou em Minha VidaCoração LevianoTimoneiroPecado CapitalTalismã e Dança da Solidão. O cantor abriu o show comNão Quero Mais Amar a Ninguém, releitura do samba Não Quero Mais, de Cartola, que rendeu o título do Carnaval carioca à Estação Primeira de Mangueira, em 1935.
 
Paulinho da Viola parecia estar bem à vontade. Em uma hora e meia de apresentação, brincou, contou histórias e revelou intimidades, como o modo que a timidez influencia sua vida, servindo de deixa para O Tímido e a Manequim. A plateia respondeu à altura e participou bastante, cantando junto, gritando elogios (“Você é muito fino”, bradou um fã) e, claro, pedindo músicas. No bis, o público deixou de lado a formalidade do teatro, ficou de pé e dançou ao som de Eu Canto Samba.
 
Choro – A abertura ficou por conta do músico Reco do Bandolim e do grupo Choro Livre, que subiram ao palco mais nobre da capital federal às 20h30 e foram aplaudidos por uma plateia vibrante. Antes do show, Reco agradeceu o grande interesse do público, afirmou que o choro já fincou raízes no Distrito Federal e saudou os organizadores. “A Secretaria de Cultura demonstra neste evento que, em pleno mês de janeiro, Brasília continua viva, aberta para todos”, parabenizou Reco do Bandolim, que homenageou Paulinho da Viola com uma versão de Choro Negro.
 
O estudante de direito Elias Henrique Silva, 23 anos, morador de São Sebastião, concorda com Reco. “A gente se acostumou com Brasília não ter nada para se fazer durante as férias. Pelo jeito, agora as coisas mudaram”, comemorou. “É um festival bem amplo, com tantas atrações boas que não vai dar para ver tudo o que eu queria”, completou.
 
A programação de shows leva hoje (5) o violonista mexicano Jorge Ozires Fernandez e, na próxima terça-feira (10), Gilberto Gil, aos palcos do Teatro Nacional (Veja no final a agenda completa).
 
Festiarte – O festival tem apresentações até o dia 12 de fevereiro. Os destaques são os cantores e compositores Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Milton Nascimento e Vanessa da Mata, além de atrações internacionais, como o Circo da China.
 
“Este festival amplia e democratiza as opções de cultura e lazer para a população, porque será um evento gratuito, em diversos pontos do Distrito Federal”, destacou o governador Agnelo Queiroz. O festival será realizado no Teatro Nacional, Centro de Convenções, Biblioteca Nacional, Museu da República, Cine Brasília e regiões administrativas.
 
O secretário de Cultura, Hamilton Pereira, afirma que a intenção do Festival é democratizar o prazer de apreciar diferentes manifestações culturais no conjunto de cidades do DF. “Queremos ir além dos eventos e oferecer reflexões sobre a diversidade cultural, além do contato com ícones da cultura brasileira”, destacou.

 

Fonte: Agência Brasília