Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/13 às 20h19 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Orquestra Sinfônica Simón Bolívar faz apresentação no Teatro Nacional

COMPARTILHAR

Em turnê latino-americana, a Orquestra Sinfônica Simón Bolívar, dirigida pelo renomado maestro Gustavo Dudamel, chega ao Brasil em abril. As apresentações poderão ser apreciadas em São Paulo, nos dias 6 e 7, e em Brasília, dia 9. Os ingressos já estão à venda.

É na Orquestra Sinfônica Simón Bolívar que estão os principais músicos eruditos da Venezuela, oriundos de uma obra social do Estado venezuelano voltada para a sistematização do ensino e da prática coletiva da música como instrumentos de transformação social. Trata-se do Sistema Nacional de Orquestras e Coros Juvenis e Infantis da Venezuela – melhor conhecido mundialmente como “El Sistema”.

O Sistema funciona através de núcleos de formação espalhados por toda a Venezuela e regidos pelo órgão estatal Fundação Musical Simón Bolívar, criado no governo de Hugo Chávez. São 285 núcleos que atendem cerca de 350 mil crianças e jovens das periferias e interiores do país. Cada músico recebe o instrumento gratuitamente e ensaia no turno contrário ao das aulas da escola regular.
Sob a administração da Fundação Musical Simón Bolívar, existem programas de educação especiais, por exemplo, para crianças com algum tipo de impedimento motor ou deficiências e com jovens infratores. A rede de Orquestras Sinfônicas Penitenciárias foi criada com o intuito de minimizar os níveis de violência dentro das prisões e facilitar o processo de reinserção social dos presos.

Mais do que um projeto musical, O Sistema está consagrado no princípio de resgate pedagógico, ocupacional e ético da infância e a juventude através da música, contribuindo assim à capacitação, prevenção e recuperação dos grupos mais vulneráveis do país.
O modelo e a metodologia do O Sistema já foram replicados em mais de 35 países. No Brasil, existem experiências de orquestras juvenis inspiradas e apoiadas pelo programa venezuelano nos Estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo.

O maestro José Abreu, fundador, há mais de 30 anos, de um projeto de educação musical que deu origem ao Sistema e transformou milhares de vida na Venezuela, ressalta outro aspecto fundamental do programa: “romper com o monopólio da cultura e das artes, antes concentrados nas mãos da elite”, disse. “Além disso, a prática coletiva da música através de orquestras e coros desperta nos jovens valores nobres como a disciplina e a solidariedade”, acrescentou. O maestro José Abreu acompanha a Orquestra em toda a sua turnê.

Desde o início da sua gestão, o Presidente Hugo Chávez Frias deu respaldo à Fundação Musical Simón Bolívar, incentivando os jovens em seu trabalho musical. No ano 2007, na ocasião do lançamento da Missão Música, afirmou: “Vocês são, não tenho a menor dúvida, rapazes, moças, o amanhecer da Venezuela, da igualdade, vocês são o amanhecer dessa grande pátria, cheia de liberdade e cheia de glória, cheia de música, cheia de cores, cheia de felicidade. Que Deus os abençoe!”.
Para mais informações sobre o Sistema Nacional de Orquestras e Coros Juvenis e Infantis da Venezuela acesse o site da Fundação Musical Simón Bolívar: http://www.fundamusical.org.ve/

Apresentações
Energia e juventude são características marcantes das apresentações da Orquestra Simón Bolívar pelos palcos do mundo, sempre aclamadas com entusiasmo pela crítica especializada. Gustavo Dudamel, maestro de excelência, dirige o grupo desde 1999 e é também diretor artístico da Filarmônica de Los Angeles. Conduzirá a orquestra nas apresentações que terá no programa: Stravinsky – Rite of Spring e Revueltas – La Noche de los Mayas e Beethoven Sinfonia nº 5.

Em Brasília
Data: 09 de abril
Hora: a partir das 21h
Local: Sala Villa Lobos – Teatro Nacional (Eixo Monumental)
Ingressos: R$ 140 (meia entrada)
Meia entrada: estudante, idoso, professor, doador 1kg alimento não perecível e assinantes do Correio Braziliense
Pontos de Vendas: Bilheteria do Teatro

Com informações da produção.