Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/01/14 às 19h23 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Obras de Joseph Beuys já estão em exposição no Museu Nacional

COMPARTILHAR

“Res-pública: Conclamação para uma alternativa global” traz a arte peculiar do artista em cinco tópicos

A partir desta terça-feira (14), o Museu Nacional da República recebe a exposição “Res-Pública: Conclamação para uma alternativa global” do artista Joseph Beuys que, ao lado de nomes como Marcel Duchamp, é considerado como uma das principais influências para a arte contemporânea atual. A exposição estará aberta de terça a domingo de 9h às 18h30. O público tem até dia 09 de fevereiro para conferir diversas obras do artista.

Conhecido como um artista com um traço político forte, sua obra não pode ser somente considerada um mero um discurso político. Na visão do artista, o público também está esculpindo de forma imaterial. Ao ver as obras, os espectadores também as moldam. Uma das grandes caraterísticas do artista é a multifacetação de suas obras, que não se resumem apenas a gravuras e esculturas. Ele também é famoso por grandes instalações e performances públicas.

A exposição também é uma marca para o Museu Nacional de Brasília. Segundo o diretor do museu, Wagner Barja, ela traz os ideais defendidos pelo artista, como a democracia e as participações individuais, que são compatíveis com a política que o museu procura desenvolver. “Inspirados pelas ideias de Beuys, o museu está aberto como um lugar de encontro para um fórum permanente sobre criatividade, educação, democracia direta, consciência ambiental e cura por espiritualidade material e energia”, completa Barja.

Para ajudar os visitantes, a exposição foi dividida em cinco tópicos:

– Criatividade e Liberdade Humanas Tripartidas – Pensamento, sentimento e vontade (“Todo homem é um artista”, “Libertar as pessoas é o objetivo da arte; portanto a arte para mim é a ciência da liberdade”);

– Plástica Social/Escultura Social – Ensino & Educação (Universidade Internacional Livre), Teoria da Escultura;

– Defesa della Natura: Natureza – Energia – Meio Ambiente & Energia (“plantamos árvores e as árvores nos plantam”);

– Cura – Xamanismo – Espiritualismo Material;

– Democracia Direta – Utopia Concreta (filmes e vídeos de Beuys), colaboração e solidariedade.

Outro aspecto importante que ajuda o público é a contextualização histórica que a exposição. A mostra Res-pública traz ao público brasiliense a oportunidade de conhecer e apreciar uma grande parte da obra de um influenciador da arte contemporânea atual

Joseph Beuys

Nascido na Alemanha, Joseph Heinrich Beuys teve contato com a arte já na sua adolescência. Ele visitou por diversas vezes o ateliê do também artista alemão Achilles Moorgat, porém resolveu escolher a carreira médica. Entretanto, com o início da Segunda Guerra Mundial, se alistou na Força Aérea Alemã. Um dos mitos que cercam a figura do artista aconteceu com a queda, durante a guerra, de seu avião e ele teria sido supostamente resgatado por tártaros que usaram em seu tratamento feltro e gordura, materiais recorrentes em suas obras. Depois da guerra, concentrou-se na arte e se tornou professor, porém acabou sendo demitido da academia. Beuys morreu de insuficiência cardíaca em 1986.


Serviço

Abertura: 14 de janeiro, às 19h30.

Até: 9 de fevereiro.

De terça a domingo, das 9h às 18h30.

Equipe curatorial: Silke Thomas; Rafael Raddi, Luiz Guilherme Vergara e Wagner Barja

Entrada franca

LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS

No dia 14 de janeiro, (terça), às 20h, performance de Suyan de Mattos, Fernando Villar, Mariana Brites, José Eduardo Garcia de Moraes, Bené Fonteles, Renato Acha e Cirilo Quartim, com duração de 2h30.

No dia 15 de janeiro, (quarta), às 19h30, palestra e mostra de vídeos com Anna Bella Geiger, com duração de 1h30.