Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/12/12 às 13h11 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Secretaria de Cultura inaugura espaço Reynaldo Jardim

COMPARTILHAR

O secretário de Cultura, Hamilton Pereira, e o subsecretário de Fomento, Leonardo Hernandes, inauguraram, na tarde dessa sexta (21/12), na Secretaria de Cultura do Distrito Federal, o Espaço Reynaldo Jardim, uma homenagem ao poeta, jornalista e artista gráfico que chegou a Brasília em 1982 e aqui viveu até sua morte, em 2011.

No local, artistas, estudantes e demais interessados poderão consultar livros, DVDs e arquivos digitalizados referentes aos projetos apoiados pelo FAC.
Artistas, intelectuais e produtores culturais prestigiaram o evento, que contou com a presença de Elaina Daher Jardim, esposa de Reynaldo, acompanhada dos filhos e da neta de apenas um mês.
Emocionada, Elaina disse que a Secretaria de Cultura é, de certa forma, a casa do marido “porque o Reynaldo viveu pra criação”.
“Pra mim, aqui (Teatro Nacional) é o templo da criação. É o prédio mais lindo de Brasília e onde as pessoas estão criando condições para que os artistas, nas suas casas, nos seus ateliês, possam trabalhar. E isso torna a Secretaria de Cultura uma grande referência pra todas as pessoas que vivem pra arte e pra criação no Distrito Federal.”
Segundo Elaina, Reynaldo dedicou toda a sua vida à criação, à poesia, à beleza e às artes.
“Ele está no lugar dele. É muito emocionante e a gente tá muito feliz.”
Durante a inauguração, Elaina Jardim, ao lado do secretário de Cultura, Hamilton Pereira, descerrou a placa que homenageia o poeta.
O secretário Hamilton Pereira também assinou a portaria que cria oficialmente o espaço Reynaldo Jardim.
Em breve discurso, ele falou do orgulho de ter conhecido o escritor, contou uma história da passagem do jornalista por um jornal de Goiânia e destacou a importância de Reynaldo Jardim para a cultura de Brasília.
“Com a inauguração do Espaço Reynaldo Jardim, nós temos a possibilidade de fazer dessa casa não apenas um espaço da burocracia da Secretaria de Cultura, mas um espaço de criação, um espaço de memória.”
A abertura do Espaço faz parte das comemorações dos 21 anos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC).
Criado em 1991 e alterado pela Lei Complementar 267 de 1997, o FAC é o principal instrumento de fomento às atividades artísticas e culturais da Secretaria de Cultura do DF, que oferece apoio financeiro a fundo perdido e seus projetos são selecionados por Editais públicos.
Por meio do FAC são produzidos filmes, peças de teatro, CDs, DVDs, livros, exposições, oficinas e inúmeras circulações artísticas em todo o DF.
Os objetivos do FAC estão vinculados aos Programas de Fomento definidos pela Secretaria e discutidos no Conselho de Cultura do DF, órgão que também é responsável por aprovar os projetos que solicitam apoio financeiro ao FAC.
Subsecretário de Fomento, Leonardo Hernandes agradeceu a todos os envolvidos no projeto e também destacou a importância de Reynaldo Jardim para Brasília.
SOBRE REYNALDO JARDIM
Jornalista, poeta, artista gráfico, pintor, escultor, Reynaldo Jardim nasceu em 13 de dezembro de 1926, em São Paulo. Revolucionou ao criar e editar, nos anos 1950, o Suplemento Dominical e o Caderno B do Jornal do Brasil, o primeiro caderno jornalístico brasileiro dedicado às artes. No rádio, concebeu a ideia de unir música e informação.
Nos anos 1960, criou o jornal-laboratório O Sol, precursor da imprensa alternativa brasileira (“O Sol nas bancas de revistas/Me enche de alegria e preguiça”, cantou Caetano em Sem Lenço e Sem Documento). Dirigiu o Correio da Manhã, na época da ditadura militar, quando driblar a censura era um desafio diário, e realizou reformas gráfico-editoriais em jornais de todos os cantos do país. Chegou em 1983 a Brasília, onde foi editor de cultura do Correio Braziliense, criando o caderno ApArte, e diretor executivo da Fundação Cultural do DF, na qual buscou estimular a produção dos artistas locais.
Como escritor, publicou, entre outros, os livros de poesia Paixão segundo Barrabás; Maria Bethânia Guerreira Guerrilha e Lagartixa Escorregante na Parede de Domingo. O FAC apoiou a publicação do livro Íntima Grafite, a realização do curta-metragem Profana Via Sacra, de Alisson Sbrana, que homenageia Jardim, e o CD Palavra do Poeta, com poemas declamados pelo próprio e por artistas locais. Morreu em 1º de fevereiro de 2011.
SERVIÇO:
O Espaço Reynaldo Jardim contará com computadores e material para consulta, disposto em estantes, e funcionará de segunda a sexta, das 9h às 18h. O endereço é Via N2, anexo do Teatro Nacional.