Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/03/11 às 13h20 - Atualizado em 13/11/18 às 14h36

Nota à Imprensa

COMPARTILHAR

Com relação às informações divulgadas pela imprensa acerca do acesso ao acervo da Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), a Diretoria da BNB presta os seguintes esclarecimentos a seus usuários e à comunidade em geral:

1. Aberta à comunidade em 12 de dezembro de 2008, a Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), é uma instituição pública vinculada à estrutura administrativa da Subsecretaria de Patrimônio Artístico, Histórico e Cultural da Secretaria de Estado de Cultura do Governo do Distrito Federal (SC/GDF) e que tem como parceiros os Ministérios de Ciência e Tecnologia (MCT), da Cultura (MinC) e da Educação (MEC).

2. O modelo de biblioteca adotado pela BNB é o chamado híbrido, que prevê a disponibilização da informação nos formatos físico e digital, razão pela qual oferece a seus usuários, além de salões de leitura e estudo, espaços multimídia, rede wireless em todo o prédio e acesso livre e gratuito a 51 computadores conectados a internet banda larga. A política institucional da BNB tem como objetivos a inclusão social e digital, a capacitação em competências informacionais e a promoção do hábito de leitura, por meio do uso das novas tecnologias.

3. Nossa política de acervamento da BNB organiza as obras em duas grandes coleções: Popular e Brasiliana. A Coleção Popular é formada por obras das mais diversas áreas do conhecimento como direito, educação, psicologia etc., com o objetivo de atender pesquisas pontuais. Já a Coleção Brasiliana busca reunir, preservar e disponibilizar para pesquisadores obras sobre temas brasileiros publicadas no Brasil e no exterior. O acervo atual foi formado a partir de doações de instituições governamentais, não-governamentais e de coleções particulares de pessoas físicas e jurídicas, totalizando aproximadamente 100 mil exemplares.

4. Em 2009, o MinC destinou cerca de R$ 2 milhões ao GDF, por meio do programa Mais Cultura, para a aquisição dos equipamentos de segurança (totens e tarjas magnéticas), bem como para a primeira compra de livros. No entanto, apesar dos esforços da Diretoria da BNB, o convênio não chegou a ser formalizado pelo governo anterior e, em 2010, o recurso foi então devolvido. Além da perda do recurso e da crise político-institucional que se abateu sobre o GDF, a BNB teve seu quadro de funcionários reduzido – de 60 colaboradores (entre estagiários, consultores de projetos e servidores) para 40 servidores, devido ao término de algumas parcerias. A falta do sistema de segurança e a redução de pessoal para o atendimento inviabilizaram a liberação dos livros já catalogados para consulta local e empréstimo domiciliar.

5. Mesmo com o acervo ainda não disponível, os usuários têm sido bem-vindos à Biblioteca para frequentar os salões de estudo, acessar a internet e usufruir gratuitamente dos eventos culturais e das atividades educativas oferecidas à comunidade. Atualmente, a BNB possui 46.359 usuários cadastrados, com frequência diária de 600 pessoas em média, perfazendo um total mensal aproximado de 20 mil atendimentos, considerando-se o uso de todos os espaços – Salões de Leitura e Estudo, Espaço Clic, Espaço Infantil, Hall de Exposições e Auditório – e participação em eventos como palestras, exposições, entre outros, além do agendamento de visitas de escolas da rede pública e particular, organizados pelo Núcleo Pedagógico da BNB.

6. Diante das razões expostas, a Diretoria da BNB, com apoio da Secretaria de Cultura, assume o compromisso público de atender às seguintes demandas de seus usuários: em caráter emergencial, contratação de 40 estagiários, renovação de parcerias com o Governo Federal e a ampliação do acervo do programa Mala do Livro – de 28 para 40 mil obras; como ações de médio prazo, reforma do piso do Espaço Clic, previsto inicialmente para seis meses, e gestão junto à Novacap para construção de estacionamento que atenda ao Complexo Cultural da República; e, para 2012, abertura dos acervos digital e das Coleções Popular e Brasiliana à comunidade.

Aníbal Perea

Coordenador de Políticas do Livro e da Leitura

Diretoria da Biblioteca Nacional de Brasília

Publicada em 2011