Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/09/20 às 21h55 - Atualizado em 22/09/20 às 17h17

Museus da Secec passaram por cuidados de segurança e higiene antes da abertura

COMPARTILHAR

Texto: Loane Bernardo. Edição: Sérgio Maggio (Ascom/Secec)

17/09/2020

05:30:01

 

Desde que o Governo do Distrito Federal decretou a reabertura dos museus em portaria publicada em junho, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF se debruça sobre as regras para abertura gradual e segura dos espaços públicos. Para cada equipamento administrado pela pasta, foram adquiridos itens de higiene e segurança, além de criação do manual de conduta personalizado, levando em conta as características distintas dos espaços culturais.

 

“Fizemos um estudo meticuloso, criamos um protocolo específico. De forma, que a segurança dos servidores e dos visitantes fossem preservadas”, conta o secretário Bartolomeu Rodrigues.

 

Nesta sexta-feira (18.09), serão reabertos cinco equipamentos: Museu Nacional da República, Museu Vivo da Memória Candanga (MVMC), Panteão da Pátria, Espaço Lúcio Costa e Museu da Cidade (estes três últimos formam o conjunto Centro Cultural Três Poderes/CC3P). Na próxima semana, dia 25, o Espaço Oscar Niemeyer (EON) retoma a visitação. Todos foram submetidos a Portaria 179, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (17.09).

 

Portaria 179 – Reabertura dos museus

 

Leia mais sobre as exposições em cartaz nos três museus que reabrem nesta sexta (18/09)

 

ARTE, SAÚDE E BEM-ESTAR

A Subsecretaria do Patrimônio Cultural (Supac), juntamente com a gerência de cada um dos espaços culturais da Secec, atuaram conjuntamente para elaboração dos protocolos de higiene. Com a jornada de trabalho reduzida por conta da segurança dos servidores, esses equipamentos voltam a funcionar de sexta a domingo, com horário de visitação reduzido.

 

O subsecretário do Patrimônio Cultural, Demétrio Carneiro, afirmou que as medidas foram elaboradas a partir da competência técnica dos espaços físicos, pensando na saúde e bem-estar dos servidores envolvidos e visitantes. Servidores que estão no grupo de risco, por exemplo, estão fora da escala de trabalho.

 

“Nesse momento de readaptação, tomamos medidas rigorosas para que os museus do DF continuem difundindo a cultura e a história da cidade, porém preservando a saúde e a segurança, patrimônio maior e prioridade máxima para o servidor e o público”, destacou o subsecretário.

 

“O trabalho da equipe técnica foi fundamental, neste momento de reabertura dos museus, tanto para orientar sobre os devidos cuidados de limpeza e conservação das peças em exposição, quanto para segurança e monitoramento das áreas de reserva técnica”, emendou Daniela Zanbam, diretora de Preservação da Supac.

 

EQUIPAMENTOS ADQUIRIDOS

Os servidores que retornarão ao trabalho presencial com a reabertura dos museus, além de receberem máscaras e protetores de pés, terão acesso a dispensers de álcool em gel e informações sobre a Covid-19. Foram ainda orientados sobre as regras exigidas para os visitantes, como distanciamento nos salões expositivos, uso de máscara, medição de temperatura, formação de fila com distanciamento e uso de proteção para os pés nos salões acarpetados.

 

O diretor de gestão dos espaços culturais da Supac, Marcelo Gonczarowska Jorge, conta que a reabertura desses equipamentos mantém o acesso gratuito. “Os museus gestados pela Secec certamente colaboram para que sejam garantidos os direitos à educação, à cultura e ao lazer dos brasilienses e dos visitantes”, celebrou.

 

ESFORÇO DOS GERENTES

foto: Marina Gadelha - SECEC/DF

A gerente do Museu Vivo da Memória Candanga,Eliane Falcão, enfatizou a prudência adotada nos critérios estabelecidos pela Secec em conjunto com as gerências dos espaços, observando que a reabertura dos museus da pasta marca a esperança de que em breve tudo possa voltar ao ritmo normal. “O Museu Vivo da Memória Candanga é a casa dos pioneiros da capital. Além de um ambiente acolhedor, será mais uma alternativa de entretenimento seguro neste período que estamos vivendo”, declarou a gerente do espaço.

 

Rafael Rangel, gerente do CC3P, explicou sobre a dinâmica da reabertura no complexo, que reúne três museus distintos. Cada museu terá uma capacidade máxima de visitantes estabelecida conforme o tamanho do espaço e da mostra.

“Não é necessário agendamento, mas é preciso ficar atento à lotação máxima de visitantes ao mesmo tempo por espaço: Museu da Cidade, cinco pessoas; Lucio Costa, 15; e Panteão, 20. Serão quatro servidores trabalhando por turno, sendo um em cada um dos salões de exposição, além da equipe de limpeza e segurança patrimonial”, esclareceu o gerente.

 

Diretora interina do Museu Nacional, Sara Seilert, classifica a arte e a cultura como partes indispensáveis da vida coletiva. Com lotação máxima de 30 pessoas por visitação, ela atesta que o Museu é um espaço que permite o distanciamento por ser muito grande, e com expografia que permite a circulação de pessoas sem aglomerações no ambiente.

 

“Reabrimos ao público com todos os cuidados que a situação ainda requer. Mais do que sonhar em retornar a relação espectador/obra, esperamos contatos transformadores, com mais atenção e proveito das obras de arte pelo público”, completou Sara.

 

MUSEU NACIONAL DA REPÚBLICA

Regras:

Visitação: sexta a domingo, das 10h às 16h.

Lotação do salão: 30 pessoas. Completada a capacidade, será formada fila de espera.

Observação: obrigatórios o uso de máscara e propé no carpete. Será feita medição de temperatura e disponibilizado álcool em gel.

Telefone para dúvidas: (61) 33255220.

 

CENTRO CULTURAL TRÊS PODERES

Formado por três espaços: Panteão da Pátria, Lucio Costa e Museu da Cidade

Regras:

Visitação: sexta a domingo, das 9h às 15h.

Lotação do salão: Panteão da Pátria, 20 pessoas; Espaço Lucio Costa, 10; e Museu da Cidade, 5. Completada a capacidade, será formada fila de espera.

Observação: obrigatórios o uso de máscara e propé no carpete. Será feita medição de temperatura e disponibilizado álcool em gel.

Telefone para dúvidas: 61 98355-9870 (WhatsApp)

 

MUSEU VIVO DA MEMÓRIA CANDANGA

Regras:

Visitação: sexta a domingo, das 10h às 16h, somente para dois salões expositivos. O parque permanece fechado.

Lotação do salão: 10 pessoas por salão. Completada a capacidade, será formada fila de espera.

Observação: obrigatório o uso de máscara. Será feita medição de temperatura e disponibilizado álcool em gel.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF

e-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br